DECO - Antes de viajar, que cuidados devo ter para proteger a minha saúde?


Chegaram as férias e a vontade de viajar aumenta. No entanto, devemos planear antecipadamente a viagem e não esquecer de um fator muito importante: a Saúde!

Antes de viajar, dirija-se, antecipadamente, ao serviço de Segurança Social onde está inscrito ou à Loja do Cidadão e solicite o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD), gratuito e válido nos 28 países da União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça. O documento é válido por 3 anos e garante assistência médica em caso de acidente ou de doença. Caso viaje com a sua família será necessário um cartão para cada elemento. Se viajar para o Reino Unido, basta identificar-se com o cartão do cidadão.

O CESD dá acesso aos cuidados médicos nas mesmas condições que os residentes do país de acolhimento. Porém, este cartão não cobre as despesas se viajar apenas com o objetivo de obter tratamento médico. Além dos turistas, pode ser usado por quem residir no estrangeiro temporariamente, como por exemplo os estudantes.

A assistência não será negada caso não tenha o cartão, mas poderá ter custos. Deverá guardar todos os comprovativos das despesas para pedir o reembolso à Segurança Social ou, por exemplo, à ADSE, conforme o regime em que esteja inscrito, quando regressar a casa. Se viajar para fora da União Europeia, confirme junto da embaixada ou do Departamento de Acordos Internacionais da Segurança Social (driss@seg-social.pt) se existe algum acordo de proteção na saúde.

Se tomar medicamentos sujeitos a receita médica, leve-a e não exceda as quantidades necessárias para a viagem, pois pode levantar suspeitas.

Se viajar para países asiáticos, africanos ou sul-americanos, marque uma consulta do viajante, ou caso o especialista não esteja disponível, com o médico de família, com pelo menos um mês de antecedência.

Melanie Magalhães - DECO Centro

Os leitores interessados em obter esclarecimentos relacionados com o Direito do Consumo, bem como apresentar eventuais problemas ou situações, podem recorrer à DECO, bastando, para isso, escreverem para DECO – Gabinete de Apoio ao Consumidor – Rua Padre Estêvão Cabral, 79-5º, Sala 504-3000-317 Coimbra.

AUTÁRQUICAS - Joana Oliveira apresenta lista de candidatura à freguesia de Lorvão


O PSD Penacova apresentou, no passado sábado, a sua lista de candidatura à Junta de Freguesia de Lorvão, encabeçada por Joana Oliveira, apoiada por Sérgio Santo e Elisabete Rodrigues.

Discursando perante muitos dirigentes, militantes e amigos, a jovem candidata à presidência da junta manifestou que a política local não se deve cingir a meros jogos de interesses, mas sim “servir a comunidade e zelar pelo interesse de todos, não apenas de alguns”.

Demonstrando a sua sensibilidade para com as necessidades e vontades das populações da freguesia, Joana Oliveira enumerou os pontos críticos nos quais o seu mandato se focará:

  • Conclusão do saneamento básico;
  • Repavimentação e sinalização adequada de vias;
  • Maior aproveitamento e valorização dos múltiplos pontos de interesse turístico;
  • Avançar finalmente com a última fase da há muito aguardada restauração da Casa do Monte, criando um espaço dedicado ao alojamento turístico na Vila de Lorvão;
  • Melhorar as condições de acessibilidade aos espaços e serviços públicos, como o Centro de Saúde, posto CTT e a Junta de Freguesia;
  • Promover a manutenção e limpeza de matas e respectivos acessos, bem como proceder à aquisição de um veículo todo-o-terreno, equipado com um kit de ataque inicial a incêndios, e pessoas formadas para o operar, à semelhança do que acontece noutras freguesias;
  • Criar pontos de informação físicos e plataformas virtuais, onde se facultem dados de relevo para as populações;
  • Mosteiro e antigo Hospital Pediátrico de Lorvão: colocar finalmente como prioridade política a resolução do impasse que há anos os actuais executivos se têm demonstrado incapazes ou desinteressados em resolver, condenando ao esquecimento e subaproveitamento património ímpar, de imensurável potencial socioeconómico para a região.

INCÊNDIOS - Planos de emergência desativados no distrito



A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e a Câmara Municipal de Coimbra (CMC) desativaram os planos de emergência que tinham sido acionados devido aos fogos florestais que atingiram o distrito e, particularmente, o concelho, nos últimos dias. Apesar de se ter verificado um desagravamento da situação, com menos ocorrências e as temperaturas a baixar, os fogos continuam a lavrar.

Em comunicado, a Comissão Distrital de Proteção Civil de Coimbra justifica a decisão “atendendo à gradual retoma da normalidade no que concerne aos incêndios rurais e respetivo desagravamento das condições meteorológicas que motivaram a ativação do Plano Distrital de Emergência e Proteção Civil de Coimbra”. A medida tinha sido acionada no sábado, dia 12 de agosto, devido “à situação complexa relativa às ocorrências de incêndios rurais no distrito de Coimbra que se registavam, nomeadamente em Coimbra, Miranda do Corvo e Montemor-o-Velho”.

Também a autarquia de Coimbra desativou ontem, pelas 11H00, o Plano Municipal de Emergência que estava em vigor desde sexta-feira, dia 11.

Fogos continuam apesar da melhoria das condições

Vários focos de incêndio estavam ativos ontem à tarde, sendo o mais grave em Samuel, Soure, que mobilizava mais de duas centenas de operacionais, apoiados por 55 veículos e quatro meios aéreos. Fonte da Proteção Civil informou que as chamas se concentravam em “povoamento florestal não havendo casas em risco”. Em Santo Izidoro, no mesmo concelho, também se registou um fogo.

Marujal, Montemor-oVelho, voltou a registar ocorrências,embora de menor dimensão, assim como Trouxemil e Carvalhosas (Coimbra), além de Portunhos e Venda Nova do Bolho (Cantanhede). Durante todo o dia, as corporações do distrito estiveram empenhadas no combate a estes fogos, mas também em operações de patrulhamento, rescaldo e vigilância. Segundo dados provisórios divulgados ontem pela Proteção Civil, este ano já se registaram 10146 incêndios florestais que consumiram 141 mil hectares, mais 26 mil hectares do que em 2016.


Cátia Vicente – Diário As Beiras

FUTSAL - Tó Santos continua na liderança do Chelo


O Chelo vai continuar a ser orientado por Tó Santos, técnico que, de resto, comandou o conjunto penacovense nas últimas temporadas, garantindo a promoção ao Nacional da 2.ª Divisão com o 2.º posto conquistado em 2015/2016 (atrás da campeã Prodeco) e liderou a campanha rumo à permanência na última época.

Quanto ao grupo de trabalho, Tó Santos conta com a quase totalidade da equipa que terminou a época passada, excepção feita a Pedro Santos que rumou ao ABC Nelas (Nacional da 2.ª Divisão).

Desta forma, continuam no Chelo os guarda-redes Tiago Silva, Nu no Picado, Pedro Batista e Pedro China (sub-20), bem como os jogadores de campo David Lopes, Romeu Vasconcelos, Vítor Costa, Rodrigo Fonseca, Luisinho, Francisco Fernandes, Pedro Carvalho, Gabriel Guimarães, Fábio Fonseca, Alexandre Azevedo, Flávio Oliveira (sub-20), Guilherme Rodrigues (sub-20), Nuno Santos (sub-20) e Luís Ribeiro (sub-20). A “oficina” do emblema penacovense abre portas a 28 de Agosto. 

ENSINO - Homologação da Escola de Artes projeta futuro do ensino artístico em penacova


A Escola de Artes de Penacova teve uma boa e esperada notícia, vendo confirmada a sua homologação pela DGAE, bem como a concessão de autorização de funcionamento do ensino artístico especializado da música em regime articulado. Desta forma, a escola procederá à abertura de uma turma do 5º ano do Agrupamento de Escolas de Penacova, que funcionará em regime articulado com a Escola de Artes.

A Escola de Artes de Penacova, que abriu no ano letivo 2014/2015, é uma escola onde os alunos de todas as idades podem aprender música em vários instrumentos, tais como cordas, teclas, sopros, percussão, ou instrumentos tradicionais. Podem também fazer a sua aprendizagem na área do Teatro, Danças Desportivas e Ballet. A escola promove igualmente a música para bebés e tem a decorrer o projeto "Séniores em Movimento", destinado à população sénior institucionalizada.

De acordo com o seu diretor, Paulo Almeida, “a Escola de Artes de Penacova tem ainda como objetivo abrir novas modalidades na área das danças desportivas, como o Hip-Pop e, dentro de outras artes, um ateliê de pintura”.

Como enfatiza Humberto Oliveira, presidente do Município de Penacova, “esta homologação vem confirmar a nossa qualidade e apenas coloca mais formalmente aquilo que a Câmara vinha assegurando: o nosso processo estava muito bem instruído e cumpria todas as exigências”. Humberto Oliveira acrescenta que a Escola de Artes "veio acrescentar um ensino de qualidade nas diversas valências culturais, onde as pessoas podem efetivamente aprender com professores de grande qualidade e devidamente habilitados, oferecendo aos jovens currículos artísticos sem que estes tenham que procurar este tipo de ensino noutros concelhos, evitando assim também a desertificação".


Neste momento, há 220 alunos a frequentar a escola e uma lista de espera que se cifra em 50% dos alunos ativos. De acordo com João Azadinho, vice-presidente do Município de Penacova, “há também já um número muito significativo de alunos a frequentar em regime livre, ou seja, a aprender a tocar um instrumento sem pretender cumprir os planos de estudos dos cursos oficiais, alunos de diversas idades, abrindo a escola à comunidade, que é onde ela se deve situar numa sociedade aberta, plural e inclusiva”.

Humberto Oliveira mostra-se satisfeito e convicto de que esta certificação educativa vai “impulsionar ainda mais a Escola de Artes de Penacova na afirmação como uma escola de referência, autónoma, promotora também de cursos profissionais de música para os alunos que pretendem seguir os seus estudos no ramo artístico”. Humberto Oliveira conclui referindo que “esta escola pode e deve ser um parceiro de todas as coletividades do Concelho e fornecer músicos, bailarinos e atores para fortalecer essas coletividades, contribuindo para melhorar os seus reportórios e as suas apresentações”.