CONCERTO - Coros unidos e solidários com Comunidade S. Francisco de Assis


O Coral Divo Canto lançou o desafio aos grupos corais de Penacova e o resultado será o I Encontro Solidário de Coros, a 5 de Março, às 15h00, a favor da Comunidade Juvenil de S. Francisco de Assis. Em palco estarão sete formações corais, algumas criadas propositadamente para o espectáculo.

«Os coros litúrgicos e outros do concelho foram convidados», explica Eduardo Ferreira, um dos elementos do Coral Divo Canto, não escondendo que um espectáculo que juntasse todas as formações do concelho era um objectivo que já há muito existia e que agora se concretiza, num formato solidário. 

A receptividade entre os coralistas foi a melhor, de tal forma que os coros litúrgicos uniram-se em formações maiores e andam em ensaios para participar no espectáculo agendado para o auditório do Centro Cultural de Penacova. 
Assim, participam, além do anfitrião, o Grupo Coral da Unidade Pastoral do Alto Concelho (formado pelos grupos corais de S. Pedro de Alva, Travanca do Mondego, S. Paio do Mondego e Oliveira do Mondego), Coral das Paróquias da Terras de Lorvão (composto pelos coros de Lorvão, Sazes e Figueira de Lorvão), Coro Infantil de Lorvão, Coro da Paróquia de Friúmes, Coro da Paróquia de Penacova e Coro de Cantares da Serra (Roxo).
A solidariedade a favor da instituição que apoia crianças, jovens e mães em risco é o objectivo do encontro, mas Eduardo Ferreira não esconde que há muito o Coral Divo Canto queria juntar os grupos do concelho numa «troca de laços de amizade e experiências». «Sabemos que há boas vozes nas igrejas, queremos interagir com elas», explica.

A Comunidade S. Francisco de Assis, que funciona com pólos em Eiras (Coimbra) e Poiares, precisa de muitos bens para prosseguir com o apoio social, nomeadamente géneros alimentares, roupas, produtos de higiene, material escolar e material desportivo, que está a ser pedido a quem queira assistir ao espectáculo ou a quem simplesmente queira ajudar.

Campanha de recolha de bens amanhã

O Centro Cultural de Penacova e algumas igrejas já estão a receber os bens de quem queira ajudar a Comunidade S. Francisco de Assis e amanhã, nos supermercados (Lidl de Penacova e Mini Preço da Espinheira), voluntários do Coral Divo Canto vão desenvolver uma campanha de recolha de géneros alimentares.

Margarida Alvarinhas - Diário de Coimbra

CIÊNCIA VIVA - Sete “Terras”

Em 1610, Galileu Galilei iniciou a astronomia moderna ao utilizar um telescópio, que tinha ele próprio melhorado, para observar a abóbada celeste nocturna. Viu o que ninguém antes tinha podido ver só com os olhos e descobriu, exemplo maior, que o planeta Júpiter tinha quatro luas. Esta descoberta foi muito importante para suportar o modelo heliocêntrico de Copérnico, para além de deitar por terra a exclusividade de só haver lua para a Terra!

O sistema solar Trappist-1 e os seus sete planetas NASA-JPL-CALTECH


















Foram precisos muitos e melhores telescópios, e cerca de 400 anos, para, em 1995, os astrónomos Michel Mayor e Didier Queloz, do Observatório de Genebra, na Suiça, detectarem o primeiro planeta noutro sistema solar que não o nosso. O planeta extra-solar, ou exoplaneta, orbitava a estrela Pégaso-51 a 50 anos-luz de distância da Terra. Descobria-se o que alguns ousados tinham previsto: os planetas que rodeiam o nosso Sol não são os únicos no Universo!
Depois de duas décadas, já foram detectados mais de 3500 exoplanetas e os astrónomos e astrofísicos estão convencidos de que pelo menos a maior parte das estrelas serão orbitadas por planetas.
No início de 2015, um artigo de uma equipa internacional com vários cientistas portugueses, cujo primeiro autor é o português Tiago Campante, da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, divulgava a descoberta de cinco planetas rochosos, com tamanhos entre Mercúrio e Vénus, no sistema solar Kepler-444. Intensificava-se a procura de planetas semelhantes à nossa Terra, que orbitem a sua estrela na zona dita habitável, em que a existência de água no estado líquido é teoricamente possível.

Em Maio de 2016, uma equipa internacional liderada por Michaël Gillon, e da qual fazia parte Didier Queloz, publicou, num artigo na revista Nature, que à volta da estrela Trappist-1, uma anã vermelha com apenas 8% da massa do Sol e situada a 39 anos-luz da Terra, tinham sido descobertos três planetas do tamanho do nosso planeta azul. Esta descoberta mobilizou astrónomos de todo o mundo e muitos telescópios - desde o telescópio espacial Spitzer, da NASA, até telescópios situados no Chile, em Marrocos, no Havai, em Liverpool, nas Canárias e na África do Sul – que passaram a escrutinar como nunca antes a estrela Trappist-1.

Astrofísica Catarina Fernandes























E o resultado deste esforço observacional astronómico foi agora publicado, novamente na revista Nature, e é uma descoberta extraordinária: Trappist-1 tem pelo menos sete planetas de tamanho semelhante ao da Terra e três deles situam-se na zona habitável. Os seus nomes são Trappist-1b, c, d, e, f, g, h, por ordem crescente de distância à estrela.
“Descobrimos que cinco dos planetas (b, c, e, f, g) têm tamanhos semelhantes à Terra, enquanto os outros dois (d, h) têm um tamanho intermédio entre Marte e a Terra. A massa estimada para os seis planetas mais interiores sugere a existência de composições rochosas”, pode ler-se no artigo cujo autor principal é de novo Michaël Gillon e de cuja equipa faz parte a portuguesa Catarina Fernandes, que está a fazer o doutoramento em astrofísica na Universidade de Liège, na Bélgica.
Esta descoberta já está a mobilizar mais meios telescópicos. O telescópio espacial Hubble já está a estudar a composição das eventuais atmosferas dos planetas do sistema solar Trappist-1. E muita expectativa se existe sobre o que é que se poderá descobrir com a próxima geração de telescópios, como o telescópio espacial James Webb (da NASA) e o Telescópio Europeu Extremamente Grande (do ESO). Estes irão procurar moléculas compatíveis teoricamente com a existência de uma actividade biológica.

As questões sobre a existência de vida extraterrena elevam-se, assim, para além do sonho que a ciência fertiliza.

António Piedade - Ciência Viva



António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 500 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de seis livros de divulgação de ciência: "Íris Científica" (Mar da Palavra, 2005 - Plano Nacional de Leitura),"Caminhos de Ciência" com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011), "Silêncio Prodigioso" (Ed. autor, 2012), "Íris Científica 2" (Ed. autor, 2014), "Diálogos com Ciência" (Ed. autor, 2015) prefaciado por Carlos Fiolhais, "Íris Científica 3" (Ed. autor, 2016).

LORVÃO - Mosteiro acolhe 2º Serão no Feminino com a presença de Zita Seabra

O Mosteiro de Lorvão custodia, há mais de sete séculos, as preciosas relíquias dos corpos das Santas Rainhas Teresa e Sancha de Portugal. Nelas buscou-se a fonte de inspiração para um conjunto de cinco serões que o Mosteiro de Lorvão nos convoca nas últimas sextas-feiras de cada mês até Maio. No desejo de delinear mais expressivamente o rosto feminino da Igreja, a Paróquia de Lorvão, com o patrocínio oficial do Município de Penacova e com o apoio de diversas entidades locais e diocesanas, convidou algumas mulheres que aportarão o seu testemunho pessoal nas mais variadas dimensões: familiar, profissional, política, social, artística e, claro, religiosa.


O segundo serão no Mosteiro será no dia 24 de fevereiro, sexta-feira, pelas 21h. “A Mulher na Política e no Trabalho”: o tema será desenvolvido pela segunda convidada, Zita Seabra, ex-deputada e empresária editorial, numa conversa orientada pelo Pe. Pedro Miranda, Vigário Geral da Diocese de Coimbra.

A iniciativa contará com um momento musical protagonizado pelo Órgão de Tubos histórico do Mosteiro do Lorvão, com o organista João Henriques e acompanhado por instrumentistas de sopro da Filarmónica Boa Vontade Lorvanense (trompa: Paulo Lopes; clarinete: Diana Macedo). Contará também com a participação especial do Pe. Pedro Miranda que acompanhará com a flauta transversal.

Será também uma oportunidade para rever o filme promocional do Mosteiro de Lorvão!


PRÓXIMOS SERÕES

31 de Março de 2017 – 21h00 | “A Mulher na Sociedade”
Convidada: Isabel Jonet | presidente do Banco Alimentar contra a Fome
Momento musical: João Henriques (órgão)

28 de Abril de 2017 – 21h15 | “A Mulher na Igreja”
Convidada: Inês Vasconcelos | assistente na Capelania Hospital do CHUC
Momento musical: Escola Diocesana de Música Sacra

26 de Maio de 2017 – 21h15 | “A Mulher na Cultura”
Convidada: Teresa Salgueiro | cantora
Momento musical: Escola de Música de São Teotónio

INICIATIVA - Bombeiros de Penacova juntam campeões do mundo em desencarceramento



Os campeões do mundo em desencarceramento – Ricardo Couto, Fernando Mafra, Miguel Duarte, Diogo Lourenço, Rui Mexia, Rui Oliveira e Vítor Gomes – vão estar sábado em Penacova. Estes profissionais vão participar no workshop sobre “Abordagem ao acidente rodoviário grave” que se integra nas comemorações dos 87 anos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova. Um programa que arrancou a 15 de fevereiro e se vai prolongar até outubro com um conjunto alargado de iniciativas.

À escolha do tema para este workshop não é alheio o facto de os Bombeiros de Penacova estarem num dos itinerários principais (IP3) com maior sinistralidade. "Essa é, sem dúvida, uma motivação para apostarmos neste tipo de formação, que vai integrar 40 participantes, 12 deles da corporação de Penacova, mas que é aberto a todos os bombeiros da região e do país”, explicou António Simões. Para o comandante dos Voluntários de Penacova, é importante que os bombeiros que são os primeiros a chegar ao local do acidente – pelo menos com intervenção direta – possam ter consciência do que é importante preservar no local para o sucesso da investigação.

Mas não só. “Também é importante estarmos por dentro das alterações ao nível da própria indústria automóvel pois um equipamento que cortava um carro há meia dúzia de anos, pode já não estar atualizado para as viaturas modernas”, sublinhou.

Neste encontro serão abordados temas como a preservação de provas, a cargo do Núcleo de Investigação de Acidentes de Viação da GNR, e bancas práticas sobre técnicas de desencarceramento. Este workshop visa dotar os formandos de conhecimentos técnicos que lhes potenciem uma nova abordagem em caso de acidente rodoviário grave.

Ações para as escolas

Com um corpo de bombeiros constituído por 120 operacionais, a corporação de Penacova tem um plano anual de atividades que visa ajudar as populações a mudarem as mentalidades quanto à segurança e à prevenção. “Contrariamente ao que se pensa, os acidentes não acontecem só aos outros”, alerta António Simões, reconhecendo que a realização de ações nas escolas são uma constante porque “entendemos que a escola é o espaço privilegiado para refletir, pensar e sobretudo agir em termos de prevenção e preparação”.

Programa até outubro

O passeio todo-o-terreno – “Caminhos de Liberdade por Trilhos de Penacova II”, no dia 30 de abril, o dia dedicado às mães, o festival de fanfarras, em data ainda a confirmar, a cerimónia de promoções e condecorações, no dia 9 de julho, e o convívio de pesca desportiva, em 29 de outubro, são outros acontecimentos que marcam a atividade extra operacional dos Bombeiros de Penacova no âmbito do aniversário.



Eduarda Macário – Diário As Beiras



INCLUSÃO - Crianças da APCC receberam os brinquedos adaptados para poderem brincar


Porque nem todos os brinquedos – muito poucos, na realidade – servem para as brincadeiras de todas as crianças, em particular as que têm dificuldade motoras, a Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) e a CRITICAL Software decidiram tentar fazer alguma coisa.

Nos últimos meses, vários engenheiros trabalharam na adaptação de brinquedos ‘normais’, originalmente oferecidos por muitas dezenas de pessoas numa campanha de recolha iniciada no final de 2016, e hoje (22 de fevereiro) algumas crianças do Jardim de Infância da instituição deslocaram-se à sede daquela empresa para os receber.

Além de conhecerem os ‘Doutores Brinquedos’ da CRITICAL Software, os meninos e meninas da APCC puderam ainda experimentar pela primeira vez as novas brincadeiras, incluindo uma criada de raiz no âmbito deste projeto: um site que simula um aparelho analógico que utilizam regularmente (o ‘Dial Scan’) e que lhes permite comunicar com técnicos e pais através de imagens ou símbolos.

Acessível em http://virtualdialscan.tk, esta versão virtual fica agora disponível para utilização generalizada e gratuita, ‘substituindo’ assim o aparelho original, bastante caro. E, tendo sido desenvolvida em código aberto, qualquer pessoa em qualquer ponto do mundo pode, caso tenha os conhecimentos necessários, acrescentar-lhe funcionalidades.
O encontro de hoje marcou o momento final da primeira fase desta colaboração entre a APCC e a CRITICAL Software, iniciada em novembro do ano passado, que incluiu workshops sobre brinquedos adaptados, visitas mútuas de técnicos, viagens de ida e volta de sacos com brinquedos e horas disponibilizadas pela empresa e retiradas do tempo pessoal dos envolvidos.

Os cerca de 20 brinquedos adaptados neste âmbito passarão agora a integrar o espólio da Oficina do Brinquedo da instituição, podendo ser requisitados por famílias e escolas, presencialmente ou através da Internet (em www.tambemquerobrincar.org).

A Oficina do Brinquedo da APCC tem um vasto conjunto de recursos lúdico-pedagógicos e de estimulação, adaptados ou desenvolvidos de raiz. Dirigida a crianças e jovens com necessidades educativas especiais, disponibiliza brinquedos, jogos, livros, multimédia ou outro material através de um sistema de requisição.

A CRITICAL Software é uma empresa, com sede em Coimbra mas com implantação internacional, especializada no desenvolvimento de soluções de software e serviços de engenharia de informação para o suporte de sistemas críticos orientados à segurança, à missão e ao negócio de empresas.