PORTUGAL 2020 - Penacova recebeu sessão pública de esclarecimento sobre os Apoios Comunitários
























Mais de 50 empresários, dirigentes associativos e representantes de entidades públicas estiveram em Penacova a assistir à Sessão Pública de Esclarecimento sobre os Apoios Comunitários no âmbito do Portugal 2020, cuja organização coube ao município de Penacova, juntamente com a Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Centro, a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e a Ad Elo.

De acordo com Humberto Oliveira, "estes programas podem constituir uma oportunidade de alavancagem do tecido económico tendo em vista um crescimento sustentável, inteligente e inclusivo, com o apoio de fundos europeus estruturais e de investimento, que não podem ser desaproveitados, por beneficiarem em muitas áreas o nosso território".

Portugal terá uma comparticipação de 25 mil milhões de euros até 2020, para estimular o crescimento e a criação de Emprego, tendo como fito medidas como o estímulo à produção de bens e serviços transacionáveis, o incremento das exportações, a transferência de resultados do sistema científico para o tecido produtivo, o cumprimento da escolaridade obrigatória até aos 18 anos, a redução dos níveis de abandono escolar precoce. a integração das pessoas em risco de pobreza e combate à exclusão social, a promoção do desenvolvimento sustentável numa óptica de eficiência dos recursos, o reforço da coesão territorial,  bem como a racionalização, modernização e capacitação da Administração Pública.

A sessão contou com oradores como Humberto Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Penacova, Ana Abrunhosa, Presidente da CCDRC, Isabel Damasceno, Executiva do Mais Centro, Conceição Carvalho, Secretária Técnica da Mais Centro, Paula Silvestre, Chefe de Divisão da Administração Geral da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e Mário Fidalgo, Diretor-Executivo da Ad Elo, que deram conselhos e exemplos práticos, transmitindo conhecimentos aos demais presentes com algumas medidas de apoio ao investimento disponível para as entidades do Concelho de Penacova.

ROTA DA LAMPREIA - Maratona BTT em contagem descrescente


À semelhança de anos anteriores, o município de Penacova volta a apostar na vertente desportiva ao realizar mais uma Maratona BTT “Rota da Lampreia”, coincidindo com o período de degustação do ciclóstomo. Esta prova, que começou por ser uma forma de divulgação do turismo de natureza e potencialidades do concelho para os amantes do BTT, reveste-se, este ano, além dessa vertente, da componente de competição, dado que passou a contar para a Taça Regional do Centro.

O evento, que se realizará no dia 2 de Abril, procurará, igualmente, promover o Centro de BTT de Penacova, pelo que passará em muitas zonas coincidentes com esses trilhos, podendo os participantes verificar as condições dos mesmos, bem como da “sede” do centro, situado na Praia Fluvial do Reconquinho.

Ricardo Simões espera, mais uma vez, «uma forte adesão, que se tem vindo a verificar desde a primeira edição da prova». «Este ano, fazendo parte da Taça Regional do Centro, será mais uma oportunidade de mostrar às várias centenas de participantes esperados as potencialidades do nosso concelho, no que concerne aos desportos de natureza», afirmou o vereador do Desporto e Juventude da Câmara Municipal de Penacova, sublinhando que, neste caso concreto, «será mais uma oportunidade de divulgar o centro de BTT que conta com 380 Km de trilhos devidamente marcados, bem como a sua de partida e chegada com a respectiva sala de apoio e balneários».

A Maratona “Rota da Lampreia” contará com dois percursos, um de cerca de 40 Km (Meia-Maratona) e o mais longo com cerca de 70Km (Maratona), tendo a sua partida e chegada marcada para a zona do Parque Verde “António Marques”, em Penacova. As inscrições encontram-se a decorrer, contando, neste momento, com um número de participantes confirmados que deixa boas perspectivas à organização. Os atletas federados terão de desembolsar 7 euros sem almoço ou 10 com almoço, enquanto que a participação dos atletas não federados terá um custo de 8 euros sem almoço e 11 euros com almoço.

Os “atletas” que desejarem levar companhia terão de efectuar o pagamento do almoço dos mesmos no dia da prova. O formulário para inscrição está disponível na página de internet da autarquia (www.cm-penacova.pt).

Ricardo Busano – Diário de Coimbra

SEMINÁRIO - “Hidrologia e a Bacia do Mondego” em debate no Museu da Água



















É já na próxima sexta-feira, dia 24 de fevereiro, que decorre o segundo encontro no âmbito da iniciativa “12 meses, 12 seminários”, que o Museu da Água de Coimbra acolhe ao longo deste ano. “Hidrologia e a Bacia do Mondego” é o tema que será apresentado por João Pedroso de Lima, a partir das 18h00, no auditório do Museu.

O Museu da Água de Coimbra já anunciou o programa de atividades para o ano de 2017, de que se destaca o ciclo de 12 seminários sobre temas relacionados com as massas de água da bacia do Mondego (ribeiros, rios, reservatórios e estuário). O primeiro encontro, em que se refletiu sobre “As cheias do Mondego”, com uma apresentação de Alfeu Sá Marques, teve lugar a 27 de janeiro.

Esta é uma iniciativa conjunta do Museu da Água de Coimbra e do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente - MARE, que, ao longo deste ano, vai continuar a trazer ao auditório do Museu da Água diversos oradores convidados.

A participação nestes seminários é gratuita. Pede-se, no entanto, a quem quiser assistir, que faça uma reserva de lugar, através do número 239102115.

SEGURANÇA - Direção Geral do Consumidor adverte para os riscos dos produtos carnavalescos



À semelhança dos anos anteriores a Direção-Geral do Consumidor preparou uma brochura alusiva ao Carnaval de 2017, dedicada à informação aos consumidores, especialmente os mais jovens.

A brochura dá conselhos e orientações sobre produtos específicos para o Carnaval, para que crianças e jovens possam brincar em segurança.

As máscaras, as bombas de carnaval, os artigos para disfarces, são alguns temas que se podem aqui encontrar. São mostrados riscos e dadas orientações para os evitar, pelo que é de todo o interesse a sua divulgação e leitura por crianças e jovens, bem como para os consumidores em geral.

Para além dos conselhos apresentados, recorda-se o cuidado que deve ser tido no momento da compra de roupa de carnaval: ver se o tamanho é o correto e perguntar sempre se é possível trocar e em caso afirmativo, quais as condições.

Brochura - Carnaval em Segurança 2017 (.pdf 803Kb)

SERRA DA ATALHADA - Autarquia preparou terrenos para reflorestação, com recurso ao uso do fogo controlado


Muitas pessoas da cidade de Coimbra, bem como de outras localidades limítrofes, ficaram ontem alarmadas com o fumo no ar e cheiro a queimado, mas, não passou do resultado de uma acção de limpeza de terrenos da Câmara Municipal de Penacova.

De acordo com o segundo comandante dos Bombeiros Voluntários de Penacova, Vasco Viseu, a queima de sobrantes e uso de fogo controlado em mato rasteiro, foi uma iniciativa da autarquia penacovense, que, através de um empresa privada, certificada para o efeito, decorreu em terrenos camarários, tendo em vista a sua reflorestação.

Recorde-se que aquela zona foi afectada por vários incêndios severos no ano de 2015, sendo agora necessário repor a mancha florestal numa área relativamente extensa. De acordo com Vasco Viseu, os bombeiros estiveram no local apenas como meio de prevenção, tendo sido desmobilizados ao final da tarde, por iniciativa da empresa privada.

No entanto, admitiu que a coluna de fumo pudesse ser suficientemente grande para provocar algum receio às populações, na medida em que se trata de «uma área muito grande», que liga os moinhos da Serra da Atalhada, praticamente até à localidade de Vila Nova, já junto ao rio Mondego.

De acordo com Vasco Viseu, que também é presidente da Junta de Freguesia de Penacova, trata-se «de três grandes áreas intervencionadas, ladeadas por grandes estradões», pelo que nunca houve grandes probabilidades de haver alastramentos, pela vigilância constante, técnicas empregadas e falta de floresta, já ardida em 2015.

Contudo, o vento forte do quadrante Nordeste, principalmente durante a tarde, fez com que o fumo, numa coluna espessa, se dirigisse principalmente na direcção da cidade de Coimbra, o que provocou algum alarme junto da população.

No entanto, embora ainda decorressem algumas operações durante a noite, não se confirmaram os receios de quem desconhecia a origem e causas do “incêndio”

José Carlos Salgueiro – Diário de Coimbra