Celebrar a Universidade, Coimbra e Portugal - Mas cuidando e tratando!

A classificação da Universidade de Coimbra, a Alta Universitária e a Rua da Sofia pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) é um marco histórico para a Cidade mas também para Portugal.
Esta classificação tem um valor significativo para a autoestima e para o orgulho dos que gostam e sentem Coimbra como sua. Por outro lado, seguramente que o reconhecimento internacional desta brilhante, justa e merecida distinção tem de se traduzir num retorno cultural e económico assinalável.
Do património edificado que foi classificado na Alta destacam-se o Pátio das Escolas, com a Biblioteca Joanina, a Torre e a Via Latina, a Imprensa da Universidade, o Laboratório Químico, as casas dos Melos e das Caldeiras, o conjunto edificado pelo Estado Novo (Biblioteca Geral, Arquivo da Universidade, Faculdades de Medicina e de Letras, os Departamentos de Física, de Química e de Matemática), o Jardim Botânico e a Sé Velha. Na Baixa, foram classificados os sete colégios da Rua da Sofia, o Mosteiro de Santa Cruz, o Palácio de Sub-Ripas e o Antigo Colégio das Artes, no Pátio da Inquisição. É preciso agora, mais do que nunca, cuidar e tratar deste património.
É preciso tratar e cuidar do património envolvente, público e privado. É preciso tratar e cuidar das ruas, dos passeios e dos espaços públicos tão mal tratados e abandonados. Mas também do lixo, da iluminação e da segurança. O próximo quadro comunitário de fundos estruturais da União Europeia vai entrar em vigor já para o ano, consagra a reabilitação urbana como uma das suas prioridades e Coimbra não pode desperdiçar a oportunidade como tem desperdiçado tantas outras.
O Património da Humanidade agora reconhecido internacionalmente, material e imaterial, vem confirmar e reforçar o papel da Universidade de Coimbra, da Cidade e de Portugal como centro do conhecimento e do desenvolvimento da língua portuguesa, bem como a sua afirmação no Mundo ao longo da sua história. Este é o momento certo para reconhecer o trabalho certamente de muitos que se empenharam e dedicaram a este objectivo, mas é justo assinalar que a Universidade e os seus responsáveis tiveram um papel competente e determinante.
Parabéns a Universidade!
Parabéns a Coimbra!
Parabéns a Portugal!

Artigo de opinião originalmente publicado na edição impressa do Diário de Coimbra de 24.06.2013

  etiquetas ,