Comissão de Moradores do Roxo comemora os 35 anos da abertura da estrada Roxo - Carapinheira - PENACOVA ACTUAL
PUB

ÚLTIMAS

PUB

Post Top Ad

18 de junho de 2013

Comissão de Moradores do Roxo comemora os 35 anos da abertura da estrada Roxo - Carapinheira


Realizou-se no domingo, dia 16 de Junho, junto aos moinhos de vento do Roxo, um encontro convívio dos membros da comissão de Moradores do Roxo, eleita em 1976, comemorativo do 35º aniversário da abertura da estrada do Roxo para a Carapinheira da Serra, que contou com a participação do Sargento José Alberto Costa, na altura Administrador do concelho de Penacova, que exercia as funções correspondentes a Presidente da Câmara Municipal e do então 1º cabo José Saraiva, um dos militares que operavam com a máquina de terraplanagem cedida pelo Exército, que abriu a estrada.
Estávamos em Julho de 1976, em período de construção da democracia, a Constituição da República Portuguesa acabava de ser aprovada em 2 de Abril, na qual se previa no seu capítulo V a constituição das Comissões de Moradores.
O Roxo era então uma “aldeia do fim do mundo”, como se dizia. Apenas contava com uma estrada de acesso, que ligava o Roxo à Aveleira, não tinha ligação direta para Coimbra onde já a maioria da população trabalhava, não tinha luz elétrica, transportes públicos só em sonhos e mesmo o telefone era uma raridade, existindo apenas duas linhas instaladas.


Foi neste quadro de profundo atraso e com o despontar da consciência coletiva para as potencialidades da organização popular e da necessidade de agir, que a população se reuniu na Eira do Barreiro, num domingo de Julho e elegeu a sua Comissão de Moradores, então composta por Armando Lapas, Rogério Silva, Eduardo Ferreira, Manuel Miguel, António Correia e José Escada, que desde logo puseram mãos à obra para resolver as principais carências da população, como seja a abertura da estrada para a Carapinheira, a instalação da luz elétrica, o melhoramento dos arruamentos, a abertura da estrada para o Caneiro, etc.
As primeiras eleições autárquicas iriam ocorrer só em Dezembro desse ano, que viriam gerar as primeiras autarquias locais da democracia, nos moldes que hoje as conhecemos.
Como a Câmara Municipal não tinha meios, a Junta de Freguesia muito menos, foi necessário “mendigar” junto de outros poderes, nomeadamente junto das autoridades militares. E foi assim que com o apoio e empenho pessoal do Sargento José Alberto Costa, primeiro como Administrador do Concelho e depois como militar colocado no Quartel-general de Coimbra que se conseguiu a cedência da máquina de terraplanagem Caterpilar D6C, cedida pelo Regimento de Engenharia 1 da Pontinha, que no 1º trimestre de 1978 rasgou a estrada para a Carapinheira, operada pelos 1ºs cabos José Sousa e José Saraiva, a quem a Comissão de Moradores assegurava a dormida e a alimentação em regime de rotatividade, para além do acompanhamento diário da obra, do contacto com os proprietários dos terrenos afetados e a mobilização da população para alguns trabalhos, como o corte de árvores e a colocação de manilhas.
Os militares entretanto terminaram o serviço militar obrigatório, passando à disponibilidade em 31 de Março, antes de concluírem a estrada, que pouco ultrapassou a Ribeira de Vale Bom. Assim e como a Câmara Municipal apenas se tinha comprometido com o pagamento do gasóleo, teve que ser a Comissão de Moradores a responsabilizar-se pelo troço restante, fazendo um peditório pela população, em que a quase totalidade dos casais e dos solteiros contribuiu monetariamente, para além de várias jornadas de trabalho voluntário de muitos moradores.
A eletricidade havia de chegar ao Roxo também neste período, sendo inaugurada em 28/10/1977. Já a telenovela Gabriela Cravo e Canela ia a mais de meio, quando os moradores do Roxo puderam passar a acompanhar o enredo daquele programa de grande audiência, com a compra das suas televisões que agora já podiam ligar, assim como os seus primeiros frigoríficos.
A abertura da estrada para o Caneiro ocorreu ainda no mandato desta Comissão de Moradores, que acompanhou os trabalhos, também em regime de rotatividade, durante a metade do percurso que correspondia ao Roxo, sendo a 2ª metade da responsabilidade da população do Caneiro.
Neste domingo comemorou-se acima de tudo o 35º aniversário da abertura da estrada da Carapinheira, à época, a maior aspiração da população. Mas o convívio, que envolveu todos os membros da Comissão de Moradores de 76 e suas famílias, os militares da época e de suas famílias, teve ainda a visita de alguns moradores que se associaram nos seus cumprimentos aos convivas e que com eles recordaram os trabalhos, as aventuras e as vitórias conseguidas há mais de três décadas.


Durante o almoço, com Coimbra em fundo na imagem

A equipa da construção da estrada: de pé Eduardo Ferreira e Rogério Silva; sentados da esquerda para a direita José Escada, Armando Lapas, Sarg. José Alberto Costa, 1º Cabo José Saraiva, Manuel Miguel e António Correia

Junto ao moinho, para a posteridade
Os convivas com o apoio musical de Ricardo Miguel

Por Eduardo Ferreira

Sem comentários:

Post Top Ad