Junta Regional de Coimbra do Corpo Nacional de Escutas já tem novo líder

Figueirense tomou, ontem, posse como líder da Junta Regional. Nos próximos três anos, pretende “dar espírito de corpo à região, dando-lhe sentido, identidade e unidade”
  


Manuel Pedrosa é o novo líder da Junta Regional de Coimbra do Corpo Nacional de Escutas (CNE) - Escutismo Católico Português, depois de, no acto eleitoral de 12 de Maio passado, a candidatura “Ser Região”, encabeçada pelo figueirense, ter obtido 410 votos (78,54 por cento dos votos) contra 112 votos (21,46 por cento) da lista B “Concretizar o sonho de B.-P. [Baden-Powell]”, liderada por João Paulo Branco. Eleições com uma participação recorde e um índice de participação superior a 60 por cento. Ontem, Manuel Pedrosa tomou posse para o mandato que irá ter pela frente, entre 2013 e 2016, numa cerimónia que decorreu no Mosteiro de Celas, em Coimbra. Também ontem, foi empossado o Conselho Regional Fiscal e Jurisdicional do CNE. Nas bases programáticas da candidatura “Ser Região”, o objectivo primordial, desde logo assumido, mostrava-se patente na vontade de «dar espírito de corpo à região, dando-lhe sentido, identidade e unidade».
Manuel Pedrosa assumiu o objectivo da Junta Regional de Coimbra do CNE se tornar «mais unida e mais activa», razão pela qual defendeu a necessidade de «envolver as pessoas, nomeadamente no apoio ao adulto enquanto educador». «Queremos estar na linha da frente na implementação do sistema de formação dos adultos no escutismo, que a associação
está a desenvolver. Promoveremos um escutismo de referência: com fio condutor, ritmo, conteúdo e propósito e centraremos os recursos financeiros e patrimoniais na acção pedagógica da região», anunciou a lista vencedora “ Ser Região”.
A criação de canais de comunicação eficientes entre a Junta Regional, os núcleos/Zona de Apoio Pedagógico, os agrupamentos e a comunidade foi outra das propostas apresentadas pela candidatura liderada por Manuel Pedrosa, que, disse, «trabalhará no sentido de dar testemunho da dimensão católica do CNE».
Engenheiro civil de profissão, Manuel Pedrosa, de 52 anos e residente na Figueira da Foz, destacou ontem «a criação de dois departamentos que não existiam: o departamento internacional e o departamento de inclusão de jovens que apresentem algum grau de deficiência e com os quais queremos trabalhar».
Fundada em 1923, o CNE é a maior associação de jovens do país e tem implantação na Diocese de Coimbra há 86 anos, contando, neste momento, na região de Coimbra, com 4.520 escuteiros divididos em 62 agrupamentos integrados em outras tantas paróquias e espalhados por todo o território da diocese, que, além do distrito de Coimbra, engloba os concelhos da Mealhada, Mortágua, Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Pedrogão Grande, Pombal e Ferreira do Zêzere.

Órgão executivo formado por oito dirigentes Manuel Pedrosa, dirigente no Agrupamento 235 da Figueira da Foz, é o novo chefe regional. Claúdio Silva, de Cantanhede, foi eleito chefe regional adjunto. Nuno Canilho, da Mealhada, assume o cargo de secretário regional para o programa educativo, com Paulo Valdez, de Santo António dos Olivais, a exercer a função de secretário regional dos adultos. Mónica Rocha, de Santa Apolónia, assume a pasta de secretária regional administrativa e financeira, enquanto a Rui Pinheiro, da Palheira, é o secretário regional para a gestão. Diana Cardoso, da Pedrulha, fica como secretária regional para o plano e acção e João Almeida, de Santo António dos Olivais, como secretário para a comunicação e imagem.

Jornalista João Henriques

  etiquetas