CULTURA - O livro "Doçaria Conventual de Lorvão" reúne 51 receitas da doçaria conventual

Nélson Correia Borges lança obra em cerimónia nos claustros do Mosteiro de Lorvão, com apresentação de Maria José de Azevedo Santos


São doces tentações conhecidas de todas. As nevadas e os pastéis de Lorvão são “ex libris” da doçaria conventual, cuja fama há muito ultrapassou as fronteiras do concelho. Numa investigação de Nelson Correia Borges um conjunto de receitas tradicionais é agora divulgado, através do livro “Doçaria Conventual de Lorvão”, apresentado hoje, às 16h30, nos claustros do mosteiro, com a participação da vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Maria José de Azevedo Santos.
Estudioso da cultura de Lorvão, «há muito» que o autor tinha a vontade de apresentar um trabalho sobre a doçaria. Depois de muita pesquisa, receitas que se encontravam no foro privado de algumas famílias são desvendadas. Palitos de Lorvão, morgados, milharós, fartães, queijinhos do céu, tolos, são alguns dos 51 doces que Nélson Correia Borges compilou no livro, que a Câmara Municipal de Penacova edita, onde também é apresentada a história do Mosteiro de Lorvão e um episódio do século XVIII, que estará nas origens da doçaria conventual.
De acordo com Humberto Oliveira, estes doces agora divulgados podem ter «aproveitamento económico» por parte de potenciais empreendedores. Por isso mesmo, o presidente do município lança o desafio a quem desejar fazer da doçaria conventual de Lorvão um negócio viável.

  etiquetas ,