OPINIÃO - Falta de memória ou outra coisa mais



Fico intrigado quando leio nas redes sociais certos textos de opinião. O último deles, partilhado num mural que não o do autor, dava conta da indignação do candidato do PSD à Câmara Municipal de Penacova contendo expressões como: “Não posso ficar indiferente perante o objeto de promoção política, paga com dinheiros do Município, que nos chegou a casa por estes dias - a Revista Municipal. “…”Não é um instrumento de informação aos Munícipes, mas puro instrumento de propaganda eleitoral.” Afirmando mesmo que a publicação chega a ser ofensiva à inteligência dos penacovenses. Apelida a publicação de mentirosa por aparecem lá publicadas fotos ou esboços de obras futuras, dando como exemplo dessa mentira a intervenção no Centro Histórico de Lorvão e na requalificação urbana de S. Pedro de Alva. Aproveitou ainda para falar da obra do centro escolar de Lorvão, dos valores envolvidos na obra, chegando mesmo ao ponto de andar a pesquisar se o anterior empreiteiro entrou em insolvência ou não. Acaba ainda por adjectivar como brincadeira, o dinheiro gasto, aproveitando depois por comparar os dinheiros gastos pelos 2 partidos, PS e PSD na campanha eleitoral.

Não deixo de ficar estupefacto com este tipo de textos que por vezes vejo publicados nas redes sociais, bem como alguns comunicados lançados por aparelhos partidários. O exemplo que transcrevi acima é o espelho daquilo que digo e penso. Para que não existam dúvidas do que escreverei a seguir, partes do texto que se pode ler antes das minhas palavras, pertence ao actual Presidente da Junta de Freguesia de Lorvão, Líder da Concelhia do PSD Penacova e candidato à Câmara Municipal de Penacova. A imagem que ilustra este texto, são somente dois exemplos de revistas/boletins municipais lançados nos anos de 2001 e 2004…..anos de vigência PSD em Penacova. Copio também para aqui a introdução da revista municipal de 2004: O presente boletim, pretende dar a conhecer aos cidadãos, não só as actividades mais relevantes do Município, mas também as mais diversas iniciativas de interesse municipal levadas a cabo pelas instituições desportivas, culturais e sociais do nosso Concelho. Esperamos com esta agenda de actividades poder contribuir para uma melhor informação e a consequente participação de todos.

No interior desta revista, de acesso a todos, na Biblioteca Municipal o que se encontra? Agenda de actividades, obras efectuadas no Concelho, informações sobre a gestão camarária e recortes de jornal com noticias sobre Penacova.
Diferenças de conteúdo para a actual? ZERO. Não consigo encontrar diferença nenhuma. Agora pergunto: Uma revista informativa em 2004 passou a propaganda em 2013? Uma revista que agora é descrita como ofensiva em relação à inteligência dos Penacovenses era em 2004 instrumento de cultura e informação para os mesmos?

Em relação à quantificação ou valorização de acções ou obras descritas na revista municipal quero aqui dar toda a razão ao Presidente da Junta de Lorvão. Há uma secção do número lançado agora que informa os munícipes e quem nos visita, por exemplo,  que uma instalação  desportiva se encontra aberta nos meses de Julho e Agosto. De facto, uma obrigação básica, de quem deve proporcionar hábitos de vida saudáveis e bem estar às suas populações. Esta informação, sendo básica, não a encontro nos boletins anteriores a 2010, porquê? Porque a piscina encerrava nos meses de Verão.

Falar em mentira e ilusão em algumas questões, principalmente por alguém que também exerce um cargo público e político, afigura-se-me tão somente, por revelar um pouco de leviandade no tratamento de algumas questões, proporcionando aqui mais uma vez, uma certa descrença na classe política, a que o próprio pertence. Neste ponto refiro o anteprojecto para o centro histórico de Lorvão, dado como exemplo. Estranho me parece, que alguém que pretende liderar um Concelho, não saiba uma simples definição de anteprojecto que não será mais que um estudo que servirá depois para a elaboração do projecto final ou mesmo um esboço de um projecto. E isso, é precisamente o que aparece no boletim nº 4 da Autarquia. Se o projecto ou a obra se iniciará amanhã ou daqui a 3 anos nem eu, nem o Presidente da Junta de Lorvão temos capacidade para afirmar, se bem que ele terá muito mais bases de trabalho do que eu, dado que pertence ao partido que teve o projecto do estacionamento e requalificação do Terreiro e S. João, como anteprojecto desde 1996 não conseguindo passar de projecto para a realidade.

Passemos então para a questão do Centro Escolar de Lorvão. E não é que mais uma vez terei que dar razão. Então o partido que teve o projecto de uma nova escola para a freguesia de Lorvão, parado durante mais de uma década, preocupa-se agora com uma paragem na obra? Obra essa que até já recomeçou!!! Teria sido “engraçado” que o PSD tivesse começado a obra de Lorvão, em 2012, com a lei dos compromissos em vigor e com dividas a fornecedores de perto de 3 milhões de Euros. Mais uma vez, não sairia de anteprojecto.

Vamos então analisar agora as palavras sobre a campanha eleitoral. Apelida de “brincadeiras” o dinheiro gasto na informação aos munícipes e que poderia ser gasto em coisas mais prioritárias. Toda a razão mais uma vez. Parece então que até 2009, e quando a revista era lançada pelo Eng. Mauricio Marques, não havia prioridades no Concelho. Analisando as actas da Assembleia Municipal de 2005 a 2009, não vejo uma única intervenção do Sr. Presidente da Junta de Lorvão, reclamando obras para a sua freguesia, em troca do que  se gastava com a impressão do Boletim Municipal.

Analisa ainda a verba gasta por outro partido em campanha eleitoral. Em cima, reclamava da ilusão e da mentira. Pois bem, que culpa tem o PS de Penacova ter ganho as eleições em 2009, recebendo assim mais dinheiro da subvenção estatal aos partidos? A bem da verdade, porque não é dito que, durante 20 anos, o PSD de Penacova também teve direito a muito mais dinheiro para gastar em campanha? E porque não é dito que o PSD faz a nível de campanha o que faz ao nível do país? Até aos seus próprios candidatos corta os valores, ficando esse dinheiro na Sede Nacional do PSD para patrocinar campanhas de Menezes e Searas, bem mais importantes para eles do que qualquer candidato a um concelho pequeno.


Para finalizar, imagino que este ano se tivesse realizado a Feira de Artes e Cultura de Lorvão, pela Junta de Freguesia……não se realizou. Nas semanas antecedentes o exmo. Sr. Presidente da Junta de Lorvão, imprimiria ou contratava uma firma para fazer a impressão dos cartazes da Feira. Pergunto eu: esses cartazes serviriam de informação à população ou seriam uma “brincadeira” de campanha eleitoral? Sejamos sérios. 

Jorge Neves

  etiquetas