FURTO - Quarteto de Penacova roubava e desmantelava carros para vender peças

Investigação da PJ começou com o “carjaking” de que foi vítima Pedro Coimbra e conduziu a um grupo que se dedica ao roubo de viaturas, eventualmente por encomenda


O mais novo tem 20 anos e é segurança. Outro tem 21 anos e é serralheiro, enquanto o terceiro, de 28 anos, é empregado de balcão, mas “ajeita-se” com as “coisas dos carros”. O “patrão” tem 31 anos e é mecânico. Em comum têm o facto de residirem no concelho de Penacova, a “paixão” pelas máquinas e pelo dinheiro. Ingredientes que se conjugaram para que o grupo começasse a dedicar-se ao roubo de viaturas e posterior desmantelamento, vendendo as peças de forma avulsa. A “oficina” de um dos suspeitos serviu na perfeição como “fachada” para a actividade ilícita, mas também acabou por revelar, juntamente com algumas garagens, os elementos de prova fundamentais que conduziram à detenção dos suspeitos.
O “carjaking” de que foi vítima o presidente da Federação Distrital do PS de Coimbra, na noite de 23 de Abril deu início à investigação, da responsabilidade da Directoria do Centro da Polícia Judiciária que, como ontem noticiámos, procedeu à detenção, no final da tarde de quarta-feira, dos quatro suspeitos. Nas buscas efectuadas, os investigadores recolheram, ainda, peças do BMW do também presidente da Assembleia Municipal de Penacova e objectos pessoais de Pedro Coimbra, nomeadamente uns óculos de sol.
O roubo do BMW, na noite de 23 de Abril, em Coimbra, seria, de acordo com fonte da PJ, a resposta a «uma encomenda » e Pedro Coimbra teve o azar de possuir uma viatura daquela marca e estar no “local errado”. Depois de um jantar, regressava a casa e deu boleia a alguns amigos. Restava, na altura do assalto, às 00h30, junto ao parque infantil da Solum, um único passageiro e o condutor. A “bordo” estavam, também, cerca de seis mil euros, provenientes de uma acção promovida pelo PS, à guarda do dirigente distrital. Aparentemente, o dinheiro foi um “bónus” para os assaltantes, no entender da PJ, que acredita que o carro era o único objectivo.
Pedro Coimbra não foi, seguramente, a única vítima do gang de Penacova pois a PJ «apreendeu peças de outros automóveis», nem todos de gama alta. Aliás, segundo fonte ligada à investigação, «verdadeiramente topo de gama» foi uma carrinha Mercedes, que a PJ apreendeu em finais de Agosto, na oficina, depois de «ter sido dada como furtada em França». De resto, o furto, conjugado com o roubo e a eventual burla a seguradoras, com a “invenção de furtos” seria a “fonte de abastecimento” deste negócio ilícito, que usava a oficina como “frontespício” para desmantelar viaturas e vender as peças. O destino destas, bem como os responsáveis pelas encomendas ainda estão por apurar.
Os detidos foram ontem presentes a tribunal. Um ficou em prisão preventiva, os restantes com apresentações semanais.

Jornalista Manuela Ventura

  etiquetas ,