FINANÇAS - Autarcas de Penacova aprovam 3 moções contra o (eventual) fecho das finanças

As forças políticas com representação na Assembleia Municipal de Penacova aprovaram três moções que repudiam o eventual fecho do serviço local de Finanças, informou hoje o grupo de cidadãos que promove uma petição contra o encerramento.



Segundo Eduardo Ferreira, um dos promotores, as bancadas do PS, PSD e CDU apresentaram moções, todas aprovadas, que, "tendo textos e argumentos diferentes, convergiram no mesmo objetivo de condenação da decisão de acabar com o serviço de finanças de Penacova".
O grupo que promove uma petição contra o encerramento da Repartição de Finanças de Penacova fixou como objetivo entregar, no início deste mês, na Assembleia da República, as quatro mil assinaturas necessárias à discussão do assunto.
A petição, lançada no final de novembro, apela à anulação da decisão de encerramento da repartição de Finanças no concelho, por entender "que o encerramento deste e de outros serviços públicos deixa mais isoladas as populações do concelho de Penacova".
"O seu encerramento prejudica a atividade económica do concelho, trazendo novas dificuldades às famílias e às empresas aqui instaladas. Nenhuma linha telefónica ou `call center` substitui o balcão de atendimento aos contribuintes quando estes se sentem vítimas", lê-se no documento.
De acordo com o mapa da alegada reorganização dos serviços de Finanças, divulgado no dia 07 de outubro pelo Diário de Notícias com base em cruzamento de dados, nomeadamente do Sindicato dos Trabalhadores dos Imposto, vão encerrar no distrito de Coimbra as repartições de Arganil, Condeixa-a-Nova, Miranda do Corvo, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Góis e Mira.
A bancada do PS de Penacova, em maioria na Assembleia Municipal, considera que os "encerramentos previstos, resultantes de uma política de tremenda insensibilidade social do Governo, penalizam ainda mais aqueles que teimam em continuar a viver no interior, onde reside uma população envelhecida e mais dependente dos serviços de proximidade".
O grupo que promove a petição volta a reunir-se na segunda-feira, pelas 16:30, para coordenação de trabalho e calendarização de novas iniciativas.

  etiquetas ,