VIDA POLÍTICA - Presidente Humberto Oliveira admite incidentes entre eleitos fora da Assembleia

O presidente da Câmara, Humberto Oliveira, admitiu que autarcas do PS e do CDS-PP estiveram envolvidos em incidentes num intervalo da Assembleia Municipal (AM), cujo líder, Pedro Coimbra, salientou não terem ocorrido dentro da sala de reuniões.

«Eu não vi, mas sei que hove uns “agarranços” lá fora», disse Humberto Oliveira (PS), que estava na sala, com Pedro Coimbra, quando o socialista António Fonseca se envolveu em discussão, no exterior dos Paços do Concelho, com outros membros da AM, eleitos pela coligação “Juntos Por Penacova” (PSD/CDS-PP), Azougado da Mata e Carlos Barbas.

Também António Fonseca admitiu ter havido, sábado, «alguns encontrões» com um deputado municipal da oposição.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara disse que «mais do isso não foi de certeza», não se tendo verificado incidentes na sala onde decorria a Assembleia. Pedro Coimbra, presidente da mesa da AM e líder distrital de Coimbra do PS, corroborou.

«Todas as reuniões da AM a que tenho presidido têm decorrido com toda a normalidade, sem nunca se ter verificado quaisquer incidentes», sublinhou, afirmando desconhecer «o que se passa fora de portas».

 «Não houve cenas de pugilato, como já alguém disse», afirmou, por seu turno, António Fonseca. O centrista Carlos Barbas disse que vai apresentar queixa-crime, afirmando ter sido agredido.

A coligação “Juntos Por Penacova” exigiu condições de segurança ao presidente da Assembleia. Diz ainda que vai avançar com procedimento criminal contra os dois suspeitos das agressões, recusando participar nas sessões do órgão autárquico enquanto não estiver garantida a «integridade moral e física» dos seus eleitos.

  etiquetas ,