GNR identifica três suspeitos de furto


Os militares da GNR voltaram ontem ao concelho de Penacova e o “aparato” fez-se notar, em Casal de Santo Amaro e noutras povoações vizinhas. No final da operação, desenvolvida durante toda a manhã de ontem, foram identificados três indivíduos, com 21, 32 e 40 anos, por suspeita da prática de crimes de furto.

Os militares efectuaram buscas nas residências dos três suspeitos e também em duas viaturas que lhes pertencem e recuperaram algum material que se presume ser proveniente de assaltos praticados em residências. No rol das apreensões, inclui-se, de acordo com fonte do Destacamento Territorial da GNR de Coimbra, que superintende aquela área, «um televisor, um leitor de DVD, dois telemóveis, diverso material informático », bem como «algumas peças de ouro» e também «uma gazua», entre outros objectos.

A operação foi protagonizada pelos militares do Núcleo de Investigação Criminal e do Posto da GNR de Penacova e, de acordo com fonte do Destacamento, representou o corolário de uma investigação «que teve início em Setembro do ano passado», relacionada com a «ocorrência de crimes de furto» verificados da região e, na altura, devidamente comunicados às autoridades policiais.

Neste momento ainda não é possível averiguar a proveniência do equipamento apreendido em poder dos três suspeitos, situação que só as investigações em curso poderão esclarecer, depois de devidamente comparados os dados referentes à participação do furto e os objectos ontem apreendidos.

Os três suspeitos, aparentemente sem antecedentes criminais, foram constituídos arguidos e encontram-se com termo de identidade e residência. O Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento da GNR de Coimbra prossegue as investigações.

Foi a terceira vez, num espaço  de poucos dias, que os militares da GNR fizeram uma “incursão” ao concelho de Penacova. Primeiro, numa operação que conduziu à apreensão de “sabonetes” de haxixe, escondidos no meio de uma mata, depois, na terça-feira, uma operação que conduziu à apreensão de armas e, ontem, a recuperação de material que se presume produto de furtos.

Texto de Manuela Ventura

  etiquetas