MATA DO BUÇACO quer ser paisagem protegida local

A proposta de classificação da paisagem protegida local da Mata Nacional do Buçaco estará em discussão pública a partir de hoje. Na sequência da deliberação, tomada por unanimidade, pelo executivo Municipal da Mealhada, está marcada para 5 de Junho, pelas 21h00, no Casino do Luso, uma sessão de esclarecimento.


O alerta foi dado à autarquia por Fernando Correia, presidente da Fundação Mata do Buçaco que, após tomar posse, em Janeiro, se apercebeu de que o espaço não estava referenciado na Rede Nacional de Áreas Protegidas. «Todos temos a percepção de que este é um local único e um sítio que se deve proteger, mas após a criação da Fundação nada mais foi feito nesse sentido. No fundo, não existe nenhuma protecção real, uma figura legal, por parte da Administração Central sobre o Buçaco», afirmou Fernando Correia.

Uma “batalha”, que em conjunto com técnicos da Câmara da Mealhada e da Fundação Buçaco – Nelson Matos, Jorge Sousa e Hugo Fonseca – começou a ser preparada. «A tipologia que mais se adequa à nossa realidade é a de “Paisagem Protegida de Âmbito Local” e foi sobre esta que estudámos vários parâmetros, tais como, o Plano Director Municipal e a Reserva Ecológica Nacional. No fundo, fizemos um estudo para perceber a viabilidade, que se mostrou favorável », disse Fernando Correia.

E os objectivos traçados para a proposta de classificação passam pela conservação das espécies e habitats locais e a preservação do património natural, recuperação, requalificação, gestão e exploração de todo o património edificado, manutenção e criação de novas oportunidades para o turismo histórico, cultural, natural e recreativo/lazer, ao ar livre, em equilíbrio com os valores naturais e culturais salvaguardados, entre outros.

Caberá à Fundação Mata do Buçaco a gestão da Paisagem Protegida Local da Mata Nacional do Buçaco, em conformidade com um regulamento que acompanha o processo de proposta. A preocupação da Fundação e da autarquia é a de que a população seja ouvida.

«Este não é um processo fechado», concluiu Fernando Correia, adiantando que a proposta estará disponível na Câmara e na Fundação, bem como na página da internet www.cm-mealhada.pt. «Durante o período de discussão pública, qualquer interessado poderá apresentar, por escrito.

  etiquetas