PEREGRINOS Estradas de Portugal apoia peregrinos com campanha “Torne-se visível”

Até dia 12, além de apontar circuitos alternativos, EP alerta caminhantes e condutores para adoptarem comportamentos seguros


São milhares os peregrinos, a caminho de Fátima, com que nos cruzamos, por estes dias, nas estradas do distrito de Coimbra e são, por isso, muitos os cuidados que estes (e também os condutores) têm de ter para evitar, como acontece com alguma regularidade, incidentes e até mortes nas estradas.

Para que, uns e outros, tomem consciência da importância de circularem com segurança, especialmente nestes dias, a Estradas de Portugal (EP) volta a realizar, este ano, a Campanha “Torne-se Visível”, reforçando a presença, até dia 12, nos principais itinerários dos distritos de Santarém, Coimbra e Leiria.

«É uma aposta na segurança e na minimização de acidentes», explicou Francisco Miranda, director da Delegação Regional de Coimbra da EP, sublinhando a importância desta campanha, não só porque apresenta aos peregrinos «circuitos alternativos» aos que têm maior fluxo automóvel, como é o caso, em Coimbra, do IC-2, mas também porque alerta automobilistas «para a importância de adoptarem comportamentos seguros».

 E Francisco Miranda garante que, pelo menos nos últimos quatro anos, «a campanha tem tido efeitos positivos» e «não têm existido incidentes nas estradas do distrito de Coimbra».

«Os peregrinos cumprem muito mais as regras. Têm mais cuidado à noite, circulam em fila indiana e usam colete reflector», continua o responsável, justificando, por isso, a realização desta campanha, desde 2009. A partir de hoje, e até dia 12, estarão nas principais estradas do distrito de Coimbra «seis viaturas a sensibilizar peregrinos e condutores», estando a EP a colaborar com autoridades, nomeadamente com a GNR, para uma presença e um apoio permanentes aos peregrinos nos principais itinerários.

Para os automobilistas, para além do alerta de «atenção redobrada», estão ainda disponíveis painéis informativos que recordam da presença de peões e supressão de faixas em algumas vias. «Há estradas, como a entrada Norte de Coimbra, à saída de Souselas, onde é suprimida uma via, porque não há circuitos alternativos para os peregrinos», continua Francisco Miranda.

Para além do trabalho na estrada, a EP disponibiliza as suas instalações em Coimbra (e também em Santarém) para descanso dos peregrinos, entre as 9h00 e as 18h00. O director da delegação regional conta que cerca de mil caminhantes possam passar na sede da EP em Coimbra, em Antanhol, nos próximos dias.

Texto de Ana Margalho 

  etiquetas