OPINIÃO - Os Bombeiros Portugueses - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

4 de novembro de 2014

OPINIÃO - Os Bombeiros Portugueses

A imagem de marca do 42º. Congresso Nacional da Liga dos Bombeiros Portugueses, que teve lugar durante três dias, no pavilhão multiusos Dr. Mário Mexia, simbolizava no querer do seu criador, exactamente um Bombeiro a abraçar Portugal.

Esta foi também a imagem que este congresso quis trazer a Coimbra, envolvendo a cidade e as suas gentes, procurando transportar para cada um dos cidadãos a força agregadora, mobilizadora e solidária dos Soldados da Paz e procurando, sobretudo, transmitir às pessoas, às empresas e aos poderes públicos a sensação de segurança essencial à qualidade de vida contemporânea.

Quando os mais altos responsáveis se reúnem para discutir propostas tão amplas e abrangentes como o financiamento equilibrado das Associações, o regulamento de transporte de doentes, o cartão social do Bombeiro, o apoio e incentivo ao voluntariado, os novos riscos e a formação a eles associada, não estão a fazer mais do que a criar as melhores condições para prestar um serviço qualificado, à luz dos conceitos mais modernos do socorro, da segurança e do bem estar dos cidadãos.

Para além da eleição do Presidente da Liga, este foi o objetivo do Congresso, e foi certamente o entendimento quer do Secretário de Estado da Administração Interna, quer do Ministro Miguel Macedo que presidiram às sessões de abertura e de encerramento e que se comprometeram a discutir, de forma aberta e transparente, estes assuntos tão importantes para o sucesso das tarefas de protecção e socorro confiadas aos Bombeiros.

Esta reunião magna superou as expetativas, mas o seu sucesso fica obviamente dependente da capacidade concretizadora dos responsáveis eleitos, mas também e, sobretudo, da vontade e do querer individual e coletivo dos Bombeiros de Portugal. Coimbra já deu o mote, e durante três dias, como alguém me dizia, a cidade parou para homenagear os Bombeiros de Portugal. Talvez seja um exagero, mas é muito por isso que este Congresso ficará na história da LBP.

Ficará na história, pelo número de congressistas, pelas suas conclusões, pela dignidade e magnitude do ato eleitoral, pela participação e pelo volume de negócio realizado na PROSEG 2014, pela iniciativa inédita do concurso nacional para a criação do logotipo do Congresso e pelo desfile que chegou a emocionar também pelo número recorde de estandartes representativos das Federações, Associações e Corpos de Bombeiros, que deram um colorido e uma dignidade de uma dimensão impressionante.

Mas este Congresso valeu também pela homenagem ao trabalho persistente dos nossos colecionadores e pela visibilidade das nossas viaturas antigas, relíquias valorizadas e preservadas graças ao esforço gigantesco dos nossos dirigentes. Para estas verdadeiras relíquias, que estiveram na baixa da cidade e tantas outras espalhadas pelos Corpos de Bombeiros do País, sugeri no Congresso a elaboração de um trabalho que documente e perpetue este verdadeiro tesouro nacional. Contudo, Manuel Machado, Presidente da Câmara Municipal de Coimbra foi mais longe e ofereceu o seu empenhamento e a nossa cidade para sede de um futuro museu dos Bombeiros Portugueses.

Pela nossa parte fazemos e fizemos o que pudemos. Preservamo-las e damo-las a conhecer. Foi assim na Figueira da Foz em 2013 e foi agora em Coimbra. Prometemos hoje não esquecer este assunto e se com estas iniciativas contribuirmos para que um dia a cidade, património mundial da UNESCO, possa inaugurar um grande Museu dos Bombeiros de Portugal, então valeu a pena e Coimbra será mais uma vez uma lição.

António Simões Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Coimbra

Artigo de opinião originalmente publicado na edição impressa do Diário As Beiras de 04.11.2014

Sem comentários:

Enviar um comentário

Leia as regras:

1 - Todos os comentários são lidos e tendencialmente moderados.
2 - Os comentários ofensivos não serão publicados.
3 - Os comentários apenas refletem a opinião dos seus autores.