PATRIMÓNIO - Penacova lança empreitada para valorizar Livraria do Mondego - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Post Top Ad

PUB

18 de novembro de 2014

PATRIMÓNIO - Penacova lança empreitada para valorizar Livraria do Mondego




Humberto Oliveira assinou hoje a consignação da empreitada de preservação do Património Natural da Livraria do Mondego, com a empresa “Ramos Catarino Dois Arquitetura de Interiores e Construção Lda, com um valor de 46.473,14 €. Esta empreitada vai permitir preservar, valorizar, dinamizar e promover o território e nomeadamente aquele núcleo geológico, promovendo as acessibilidades a pontos fulcrais que permitam devolver este espaço de excelência natural às populações locais e visitantes. O projeto foi objeto de candidatura ao Programa LEADER ADELO, sendo esta submetida para apreciação a 28 de setembro de 2012.

Este espaço natural vai ficar dotado de miradouros, percursos de visita devidamente sinalizados, guardas de segurança e pontos de descanso, parque de estacionamento para 23 veículos e vai ainda contemplar dois mini-cais para ancoragem da barca serrana, permitindo que os visitantes tenham uma panorâmica única da Livraria do Mondego a partir do rio, podendo aproveitar ainda para desfrutar de um agradável passeio de barca serrana no Rio Mondego.

Acompanhado pelo representante da Ramos Catarino Dois e por Vasco Morais, seu chefe de gabinete, Humberto Oliveira sublinha a importância desta consignação, referindo-a como "mais uma iniciativa que visa promover o turismo e o tecido económico de Penacova e da região, devolvendo às pessoas este local sublime de interesse nacional e que Penacova tem para mostrar".


LIVRARIA DO MONDEGO


Este património natural conhecido por "Livraria do Mondego" marca a paisagem das margens do Mondego junto a Penacova, sendo um monumento que o tempo esculpiu ao longo de mais de 400 milhões de anos.
Depois de ter recebido o Alva, seu afluente da margem esquerda, o Mondego estrangula-se ao atravessar o contraforte de Entre Penedos e surgem as altas assentadas de quartzíticos silúricos dispostos quase verticalmente, como se de livros numa estante se tratasse, o que de resto deu origem à designação popular de Livraria do Mondego.
Constituída por quartzíticos do Ordovícico, a Livraria do Mondego foi, por Galopim de Carvalho, classificada como um Geomonumento ao Nível do Afloramento, constituindo-se, pelas características geológicas que encerra e pela graciosidade escultórica que o tempo lhe incutiu, como um dos mais singulares monumentos naturais de Portugal.