CCDRC - Região Centro tem 46 “empresas gazela 2014”

Estudo CCDRC identificou empresas jovens que, apesar da conjuntura recessiva, apresentam ritmos elevados de crescimento sustentado



Em tempos crise económica e  financeira, 46 empresas da região Centro contrariam a maré e, em três anos, aumentaram o volume global de negócios das empresas em 287%, criaram 836 postos de trabalhos e contribuíram para o aumento das exportações nacionais. As “empresas gazela 2014”, agora identificadas pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), destacam-se por elevados ritmos de crescimento.

No conceito internacional de “empresa gazela” enquadram-se precisamente as «empresas jovens e com elevados ritmos de crescimento, sustentados ao longo do tempo (…), com organizações inovadoras, capazes de se posicionarem de forma diferenciadora nos mercados, onde afirmam a sua competitividade e constroem sucesso a um ritmo acelerado, contribuindo fortemente para a criação de postos de trabalho».

Pelo terceiro ano consecutivo, a CCDRC foi à procura das empresas gazela num estudo que revelou a existência de 46 organizações que, situadas em  29 dos 100 municípios da área da Comissão de Coordenação, correspondem ao conceito internacional. Segundo Ana Abrunhosa, «estas empresas merecem uma atenção especial, dada a importância que assumem na criação de empregos e de riqueza, sendo decisivas para o desenvolvimento regional». Merecem, acrescenta a presidente da CCDRC, «o nosso elevado reconhecimento, pois ajudam a minorar e a contrariar os efeitos duma conjuntura recessiva (…), num período caracterizado por dificuldades para a maioria das empresas e, portanto, por desemprego».

Segundo o estudo da CCDRC, as 46 empresas «quase quadruplicaram a quantidade de colaboradores entre 2010 e 2013, gerando a criação de 836 novos postos de trabalho», revelando, em igual período, um aumento de 287% do volume de negócios (de 45 milhões para 175 milhões). Em 2013, as exportações representavam 38% dos negócios destas empresas, que actuam essencialmente (71%) em quatro sectores de actividade económica: construção, comércio, indústria transformadora e transportes e armazenagem. Embora correspondam a uma pequena percentagem do universo empresarial, cada uma destas empresas «vale ouro, pois representam crescimento acima de 20% ao ano», lê-se na apresentação do estudo da CCDRC. O crescimento anual de 20% foi, de resto, um dos critérios de apuramento, sendo necessários mais três cumulativamente: sede na região Centro e nascimento a partir de 2005; empregar 10 pessoas em 2013; e facturação superior ou igual a 500 mil euros em 2013.

O concelho de Torres Vedras é o que tem maior número de empresas gazela (cinco), seguindo-se o município de Viseu (quatro), Guarda e Entroncamento (três cada). Na listagem das empresas (que apresenta apenas as que autorizaram divulgação), surgem, na área da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, as empresas Phagecon - Serviços e Consultoria Farmacêutica (Coimbra), Sfera Florestal - agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca (Figueira da Foz), Formadexegar Transportes – transportes e armazenagem (Mealhada) e Endiprev – actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares (Mortágua).









  etiquetas , ,