FUTEBOL DISTRITAL - Com uma enorme ambição de triunfar


As quadras festivas ficaram para trás, ainda assim, a 14.ª jornada da Divisão de Honra da AFC joga-se depois da semana do Dia de Reis, o estatuto que muitos desejam, mas só um vai conseguir alcançar. Para sair “coroado” desta edição do campeonato maior do futebol distrital, há que “penar” muito até final. O equilíbrio é nota reinante e mesmo os emblemas que parecem distantes dos lugares de ataque ao trono parecem dispostos a fazer boa figura.

O União FC volta a ter o factor casa do seu lado para o jogo com o Tocha (13.º). Depois de um início arrasador, o conjunto que actua no Campo da Feira Nova conquistou duas vitórias nos últimos quatro jogos, ainda assim conta com um registo 100% vitorioso em casa. A turma gandareza vem de dois empates caseiros e ainda não ganhou fora no campeonato.

O Penelense (2.º) soma oito jogos sem perder (empatou em Gavinhos e somou sete vitórias seguidas, uma para a Taça AFC) e está, por tal, sobremaneira motivado para a recepção ao Febres (4.º) que também atravessa um bom momento (seis jogos sem perder, cinco vitórias seguidas, uma para a Taça). Dois pontos separam os dois  conjuntos que podem proporcionar um jogo de elevada qualidade.

O Carapinheirense (3.º), que nos últimos oito jogos regista cinco vitórias e três empates e tem o melhor ataque da prova e a defesa menos batida, visita o Ançã (10.º), conjunto que não venceu qualquer dos últimos nove jogos e vem de quatro derrotas seguidas. Será, por isso, o conjunto da Carapinheira favorito numa partida em que, com toda a certeza, o “ferryaço” quer voltar a sorrir no campeonato.

O Estádio Universitário de Coimbra recebe um jogo bem interessante. A Académica/SF (5.ª) recebe o Cova-Gala (7.º) que está em crescendo na prova. Se os estudantes não perdem há cinco jogos (dois empates e três vitórias seguidas), os figueirenses venceram quatro dos últimos cinco jogos e na ronda transacta bateram mais um candidato (o União FC) no Campo do Cabedelo (onde também perderam, entre outros, Penelense e Carapinheirense). um risco calculado, é jogo de “tripla”.

O Condeixa (12.º) volta a jogar em casa e quer surpreender o antagonista com quem disputou o ceptro da 1.ª Divisão AFC na última temporada: a Académica/OAF (6.º). Os estudantes apresentam-se no reduto condeixense motivados com ma sequência de seis jogos sem derrotas, sendo que vêm de um empate (1-1 na Tocha). Novamente em Pedrógão Gran de, o Pampilhosense (9.º) quer manter uma série positiva de resultados diante do Vigor (8.º). Os dois emblemas estão a efectuar campanhas muito semelhantes e estão separados por 1 escasso ponto, com vantagem para o emblema de Fala que quer voltar às vitórias. Eirense (11.º) e Touring (14.º) atravessam séries bem negativas que ambos querem ver terminadas no domingo.

O Lagares da Beira (15.º) recebe o último, o Arganil, num embate entre “aflitos”. Todas as partidas têm início agendado para as 15h00 de domingo.

1ª DIVISÃO Renovada vontade de brilhar

O Campeonato Distrital da 1.ª Divisão é emotivo por natureza. Todas as épocas são sempre várias as equipas que querem chegar ao final e celebrar a subida à Divisão de
Honra. Este ano, a história repete-se. Com 13 jornadas decorridas 4 pontos separam os quatro primeiros que nesta ronda 14 não terão, propriamente, vida fácil.

Os líderes Poiares e Águias recebem Lou sanense (11.º) e Ac. Gândaras (9.º), respectivamente. Quanto aos “perseguidores”, o Vinha da Rainha (3.º) defronta o Brasfemes (6.º), enquanto o Góis (4.º) recebe o Sepins (12.º).

Como se tem vindo a provar, as equipas que estão numa situação classificativa menos favorável podem a qualquer momento “roubar” pontos aos do topo, numa constante vontade (e capacidade) de poderem brilhar a qualquer momento.

Na jornada que se disputa domingo, a partir das 15h00, ênfase ainda para o Mocidade-Moinhos, S. SilvestreAdémia, Pereira-S. Mamede e Ribeirense-Marialvas.

  etiquetas ,