GASTRONOMIA - Penacova abriu oficialmente a época da lampreia para apreciar de janeiro a abril



Respeitando o ciclo de vida e desova da lampreia, os restaurantes do concelho de Penacova rendem-se, de janeiro a abril, aos paladares intensos que a confeção gastronómica da lampreia proporciona.

É um sabor único, resultado do “saber de experiência feito” ao longo de séculos. Um prato que tira partido de um certo “exotismo” associado a este ciclóstomo, animal primitivo, vertebrado aquático semelhante aos peixes, mas que não possui mandíbulas.

Convite aos forasteiros ao longo de quatro meses

Ao contrário do que acontecia antes, nos últimos quatro anos, o convite aos forasteiros para se deslocarem ao concelho não se centra apenas no fim de semana da lampreia – que este ano é entre 28 de fevereiro e 1 de março – mas ao longo dos quatro meses em que a lampreia existe nos rios nacionais e, principalmente, no Mondego.

A vereadora do Município de Penacova, Fernanda Veiga, explica que “desde 15 de janeiro que decorre a época da lampreia, com os restaurantes da zona ribeirinha a apostarem neste prato, que é a sua especialidade e o seu ponto forte, independentemente das outras iniciativas gastronómicas que se realizam ao longo do ano”.

Efetivamente, o concelho oferece outros festivais gastronómicos, que vão dos míscaros ao cabrito, passando pelos “sabores do rio”, “mercado de sabores” e a “feira do mel e do campo”.

A responsável pelos pelouros da Cultura, Património, Associativismo e Turismo, esclarece que “a estratégia de comunicação para dar a conhecer a lampreia, como especialidade gastronómica, passa pela definição de plano conjunto, definido em reuniões com os responsáveis dos restaurantes aderentes, que passam a constar de
um cartaz específico”.

Programa cultural enriquece fim de semana da lampreia

Entretanto, no fim de semana da lampreia, dentro de um mês, foi delineado um programa cultural que vai contar com fado, revista à portuguesa, teatro e ópera. Nessa altura, a autarquia oferece aos clientes dos restaurantes uma sobremesa especial, baseada na doçaria conventual.

Jorge Côta, responsável por um dos mais emblemáticos restaurantes de arroz de lampreia da vila, nota que “as pessoas começam agora a aparecer, até porque antes tiveram que recuperar dos excessos à mesa no Natal e Passagem de Ano”.

Autarca valoriza o turismo

O presidente da câmara, Humberto Oliveira, tem vindo a valorizar a associação do concelho à gastronomia, mais concretamente à lampreia, de forma a “conjugar diferentes vertentes de promoção do território, valorizando o concelho ao nível do turismo e, ao mesmo tempo, contribuindo para dinamizar o tecido económico local e atrair cada vez mais visitantes”.

É um contributo dos estabelecimentos de restauração que, “ao garantirem a qualidade na confecção da lampreia e a excelência no atendimento ao público, têm permitido ao festival gastronómico crescer e atrair cada vez mais pessoas”.| António Rosado

  etiquetas ,