SAÚDE - CHUC é o segundo melhor hospital de todo o país - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Post Top Ad

PUB

13 de janeiro de 2015

SAÚDE - CHUC é o segundo melhor hospital de todo o país

Estudo da Escola Nacional de Saúde Pública analisou as melhores respostas a um conjunto de 17 doenças, nalgumas das quais a unidade de Coimbra tem a primeira posição.


Coordenado por um investigador da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), o “ranking” avaliou, ao nível do internamento, o desempenho dos hospitais públicos em Portugal continental, identificando as melhores respostas a 17 conjuntos de doenças.

O estudo, realizado por especialistas da ANSP, colocou o Centro Hospitalar de S. João em primeiro lugar, o de Coimbra em segundo e o Lisboa em terceiro. Surge, em quarto lugar, o Hospital Beatriz Ângelo (Loures). Seguem-se os centros hospitalares do Porto e de Lisboa Central, a Unidade Local de Saúde (ULS) de Matosinhos, os centros hospitalares de Tondela-Viseu, do Tâmega e Sousa e o Hospital de Braga.

O “ranking” resulta da avaliação dos episódios de internamento para as doenças do aparelho ocular, cardíacas e vasculares, digestivas, endócrinas e metabólicas, ginecológicas e obstétricas, infecciosas, músculo-esqueléticas, neoplásicas, neurológicas, órgãos genitais masculinos, ouvidos, nariz e garganta, pediátricas, da pele e tecido celular subcutâneo, respiratórias, dos rins e aparelho urinário, do sangue e órgãos linfáticos e hematopoéticos, traumatismos e lesões acidentais.

O Centro Hospitalar de Setúbal foi o melhor classificado para as doenças do aparelho ocular, enquanto o de S. João (Porto) lidera para as doenças cardíacas e vasculares e para as doenças digestivas.

Nas doenças endócrinas e metabólicas, o primeiro lugar é ocupado pelo Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), que também lidera a avaliação para as doenças ginecológicas e obstétricas. O Centro Hospital de S. João está igualmente em primeiro lugar para as doenças infecciosas. O Centro Hospitalar de Tondela e Viseu é o primeiro classificado para as doenças músculo-esqueléticas. Nas doenças neoplásicas, o melhor classificado foi o S. João, seguido do IPO do Porto, os centros hospitalares de Coimbra e de Lisboa Central e, em quinto lugar, o IPO de Lisboa.

Para Martins Nunes, «o CHUC tem-se vindo a posicionar no 1.º ou 2.º lugar desde há alguns anos, o que afirma a excelente qualidade da medicina de Coimbra no contexto nacional e internacional».

Segundo presidente do Conselho de Administração do CHUC, «só é possível manter ao longo dos anos estas posições porque os seus profissionais dão, no dia-a-dia, o seu melhor em prol dos nossos doentes, do ensino e da investigação».

IPO de Coimbra em destaque

O IPO de Coimbra está em primeiro lugar para as doenças dos ouvidos, nariz e garganta.

Nas doenças pediátricas lidera o Hospital Beatriz Ângelo (Loures), com o S. João a aparecer em primeiro lugar para as doenças da pele e do tecido celular subcutâneo e as patologias respiratórias.

Para as doenças dos rins e do aparelho urinário, o primeiro lugar é ocupado pelo Centro Hospitalar de Lisboa Norte, enquanto o de S. João lidera para as doenças do sangue e dos órgãos linfáticos e hematopoéticos. O Centro Hospitalar de Tondela Viseu está em primeiro para os traumatismos e lesões acidentais.

Para a elaboração desta tabela foram considerados os hospitais responsáveis pelo tratamento de 99% do total de doentes internados, não fazendo dela parte os hospitais com um volume de produção reduzido.

CHUC com desempenho menor nas readmissões

 Segundo o “ranking”, subscrito por Carlos Costa e Sílvia Lopes, da ENSP, instituição que não é vinculada ao documento, os melhores hospitais nem sempre apresentam bons resultados em indicadores como a mortalidade, complicações e readmissões.

O S. João lidera tabela ao nível do desempenho global e da mortalidade, mas ao nível das complicações nem sequer se encontra nas dez primeiras posições. O CHUC, que ocupa a terceira posição na mortalidade e o primeiro lugar nas complicações, está fora dos dez primeiros lugares para as readmissões.

O Centro Hospitalar de Lisboa Norte, na terceira posição, tem o segundo lugar ao nível da mortalidade, mas não consta dos dez primeiros nas complicações e readmissões.

Fonte: DC