PENACOVA - Sportinguistas voltam a homenagear atletas com o «Barca Serrana» 2015 - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

26 de fevereiro de 2015

PENACOVA - Sportinguistas voltam a homenagear atletas com o «Barca Serrana» 2015

No passado dia 22, domingo, foram homenageados três atletas do Sporting Clube de Portugal – Alexandre Batista, figura ímpar do futebol leonino, e da selecção nacional, Fernando Fernandes, campeão do Kickboxing e João Luís Esteves, também ex-atleta de futebol. 



Acompanhados pelo Dr. Me­nezes Rodrigues, presidente dos «Leões de Portugal», e o presi­dente da assembleia geral do Clu­be, Jaime Marta Soares, foram re­cebidos no Salão Nobre da Câma­ra Municipal de Penacova, pelo seu presidente, Dr. Humberto Oliveira, pelo vice-presidente, Dr. João Azadinho, estando também presente o vereador do Desporto, Ricardo Simões.

O salão, bastante animado, com boa presença leonina de adeptos e sócios, houve palavras de saudação por parte do presi­dente do Núcleo aniversariante, José Carlos Almeida, que mais uma vez se sentiu honra­do por serem recebidos naquele espaço nobre do concelho, tendo também os ex-atletas leoninos pro­ferido algumas palavras de reconhecimento por se­rem distinguidos, dizendo João Esteves que foi uma página muito importante da sua vida ter pertenci­do ao Sporting; Fernando Fernandes ter um carinho especial pelos Núcleos, que há 23 anos serve o Sporting, lançando novos atletas através da sua mo­dalidade, frisando que os desportos de combate sejam parte importante para o Sporting, com novos projectos»; e Alexandre Ba­tista, é sempre cativante assistir a estes momentos, quanto mais não seja, através destas deslocações, para ficar a conhecer mais o nos­so país, já que no tempo de joga­dor entravam no autocarro para os campos e vice-versa, dizendo que, pelo viu de Penacova, é uma vila encantadora.

Dr. Menezes Rodrigues, uma fi­gura habitual nestas celebrações, deixou a nota de que na A-1 deve existir uma placa com a desig­nação «Penacova» em direcção ao IP3, e Jaime Soares, apesar de haver algumas directrizes por parte da direcção nestas deslo­cações, não porá em causa a sua presença, pondo sempre acima de tudo a bandeira do Sporting, pois «não desassociará o Jaime de presidente da assembleia à sua presença nestes eventos, tan­to mais sendo o representante de todos os sócios. Falando do novo Sporting que está a germinar, que não foge aos seus pergaminhos, de um clube ecléctico, com mais de 100 anos de história e sendo a melhor agremiação desportiva de Portugal, que ninguém o pode pôr em causa, embora alguns não o vejam assim. Considerou que o Sporting está a percorrer um caminho novo, renovado, com ou­tras ambições, em todas as sec­ções, sobretudo no futebol. É um clube que prima pelos valores da solidariedade e igualdade, é as­sim que se vive no seio do clube e em termos de vitória, «até ao lavar dos cestos é vindima».

Humberto Oliveira ali em mi­noria, em relação à cor clubísti­ca, não deixou de confessar que o Núcleo Sportinguista é uma co­lectividade que a nível nacional e local é das mais importantes que temos, confessando que o Spor­ting tem uma estratégia em avan­ço, pois não deixará de ilustrar o quadro das vitórias pois que, para além de ser um clube ecléc­tico com capacidade, é uma das instituições mais organizadas, e que no concelho mantem a chama clubística, que o honra e que era com orgulho que recebia tão im­portante embaixada, não deixan­do de a convidar para o Festival da Lampreia, que se inicia neste fim-de-semana. Anunciou que em 2015 estão para ser alavancados um conjunto de projectos a nível de desporto de natureza e deixou a nota de que a sinalética na au­to-estrada já está a ser tratado, pois será a Câmara a pagar o pre­ço dessa sinalética, que vai custar cerca de 20 mil euros.

Depois deste acto, todos se dirigiram à sede do Núcleo, que visitaram, seguindo depois para a Quinta do Vale Pousado, em Aveleira, onde os prémios «Barca Serrana» foram entregues aos ho­menageados, bem como lembran­ças com trechos de Penacova.

E assim terminou mais uma festa leonina, com bastante parti­cipação, dando a demonstrar que a chama verde-branca, apesar dos contratempos que vão surgindo pelo caminho, vão sendo ultra­passados, com a tal solidariedade e igualdade praticados no dia-a-dia.