AMBIENTE - Comportas do açude fechadas causam morte a largas dezenas de lampreias e sáveis


Dezenas de lampreias e sáveis morreram junto ao Açude Ponte, em Coimbra por terem sido impedidas de subir a escada de peixe construída especificamente para permitir que esta e outras espécies subam o rio [até Penacova] para desovar.

O alerta foi dado na noite de sábado por populares ao Diário de Coimbra que, no local, e confirmou a existência de dezenas de lampreias e sáveis mortos a jusante da ponte açude, fruto do encerramento das comportas durante todo o dia de sábado. As críticas, dirigidas contra a a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), entidade responsável pela gestão daquela infra-estrutura, não se fizeram esperar, já que é àquela que cabe controlar o funcionamento das comportas.

Ao Diário de Coimbra, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, manifestou-se indignado e classificou de «inaceitável» a criticou a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) pelo encerramento das comportas durante o dia de sábado, tanto mais que recentemente foi feito “um investimento [...] de mais de um milhão de euros na escada de peixe, para evitar que cenários como este acontecessem”. O autarca considerou ainda que esta «alegada negligência» teve como resultado um «significativo prejuízo ambiental, incompreensível, mesmo tratando-se do feriado da Sexta-Feira Santa, e injustificável, uma vez que outros serviços públicos funcionam dentro da normalidade»

Para o edil de Coimbra «não é a primeira vez que têm de ser os populares a colmatar as falhas nos sistemas de alerta de organismos públicos», lembrando «a cheia repentina que afectou a localidade do Cabouco em Janeiro último», não aceitando que «os serviços públicos se demitam do cumprimento das funções que lhes são confiadas, sob pena de graves prejuízos para as populações ou para o ambiente, como sucedeu ontem [sábado]».

  etiquetas , , , ,