FUNGICOOP - Cooperativa criada em Penacova para jovens agricultores



No passado dia 21 de Março foi apresentada uma nova unidade empresarial no concelho de Penacova, que dá pelo nome de FUNGICOOP – Cooperativa e Centro Logístico Agroflorestal de Penacova, CRL, constituída por um lote de jovens empreendedores.

É uma Cooperativa sem fins lucrativos que vai oferecer con­dições logísticas e capacidade comercial a produtores de co­gumelos e outros, através da capacidade adquirida com a integração e organização desses mesmos produtores, onde estes desenvolverão uma actividade rentável num ambiente de com­petitividade colaborativa.

Com a criação de uma pla­taforma logística para apoiar agricultores revela-se estrategi­camente essencial no contexto económico-social actual, tendo como destinatários produtores agrícolas e/ou a instalar, tendo como área geográfica Penacova e concelhos limítrofes, e a opor­tunidade terá como linha de apoio o Programa de Desenvol­vimento Rural (PDR) 2014-2010.

Tendo também em conta a promoção de agrupamentos e organizações de produtores, que é uma forma de ultrapas­sar os problemas estruturais do sector agrícola, a Cooperativa terá como principais objectivos: suprimir necessidades, que se centram na falta de capacida­de comercial dos produtores de cogumelos e outros, que pode surgir por desconhecimento de canais de comercialização, falta de capacidade de negociação, falta de capacidade de produção para mercados globais, falta de capacidade estrutural para asse­gurar divulgação e dificuldade em se especializarem nos dife­rentes níveis de cadeia de valor.

Sobre racionalidade, na fraca concentração da oferta ao nível da produção que constitua fra­gilidade; fazer frente a um dos principais problemas estruturais do sector; aumentar a capacida­de de gerar valor a montante e contrariar o desequilíbrio que se verifica na cadeia de valor.

Em relação aos domínios, a promoção da organização das cadeias alimentares será uma das primeiras acções nesta área, com apoio na transformação e comercialização de produtos agrícolas, aumento da compe­titividade dos produtores pri­mários: sistemas de qualidade, acrescento de valor aos produ­tores agrícolas e promoção em mercados locais e circuitos de abastecimentos curtos.

A estrutura do projecto da Cooperativa passa pela compra, aprovisionamento e comerciali­zação, tendo como fonte os pro­dutores individuais, tendo como responsabilidade a logística e a comercialização, sendo formada por assembleia geral, direcção, comissão consultiva, conselho fiscal. Os departamentos consti­tuídos são administrativo/finan­ceiro/controlo de gestão/investi­mentos), logística/gestão de em­preendimentos, consultoria ope­racional, comercial e marketing.

Cativação do cultivo de cogumelos na região

Já com dois lotes no Parque Industrial da Alagoa, «o que queremos que seja o resulta­do final», os apresentadores do projecto, Vasco Morais, Pedro Santos e Ricardo Torres, deram nota dos resultados em ano de cruzeiro, enquanto os incentivos são destinados a jovens agricul­tores com idades entre 18 e 40 anos, que terão de ter a titula­ridade da exploração agrícola e apresentação de um plano empresarial com a duração de cinco anos e respectivos inves­timentos. São também elegíveis pessoas colectivas desde que os sócios gerentes sejam jovens agricultores, detenham a maio­ria do capital social e indivi­dualmente uma participação superior a 25% no capital social. O montante de apoio à instala­ção é de 15 mil euros (incentivo não reembolsável), que pode ser acrescido de 25%, 50% ou 75%, se o plano empresarial incluir investimentos superiores a 80, 100 ou 140 mil euros, respecti­vamente. Ao prémio serão adi­cionados 5 mil euros se o jovem for membro de um agrupamento ou organização de produtores (PENSAR), que adicionalmente ao prémio, os investimentos se­rão comparticipados a uma taxa máxima de 60%. O pagamento do apoio será feito em duas ve­zes: 75% no início da instalação e os outros 25% após verificação da boa execução do plano em­presarial.

As condições de entrada de cada membro não poderão ser inferiores a duzentos títulos de capital, equivalentes a mil eu­ros. Numa primeira fase, para dar apoio aos cooperantes, es­tará ao dispor um gabinete, que receberá os pedidos para forma­lização de interesse para novos cooperantes, que se iniciou no dia 21 de Março passado, en­quanto o prazo para formaliza­ção de interesse de candidatu­ra para jovens agricultores tem início em 15 de Abril. A segunda fase é respeitante às instalações provisórias, desenvolvidas após avaliar necessidades e a partir de 1 de Janeiro de 2016, será o início de funções plenas. A ter­ceira fase terá como meta as instalações definitivas.

Na opinião dos apresentado­res, a Cooperativa vai investir mais na produção e comercia­lização de cogumelos, fazendo sentido investir e cativar a re­gião para este género de cultivo.

Fim-de-semana em grande

A apresentação, que ocorreu na Sala Dr. Leitão Couto, situa­da na Biblioteca Municipal, teve a participação de muitos curio­sos e até interessados já no pro­jecto, teve a presença do presi­dente da Câmara de Penacova, Dr. Humberto Oliveira, que não deixou de recordar que o fim-de-semana que estava a desen­rolar-se era fértil em iniciativas culturais, que juntando as áreas da educação e desporto, de al­gum modo elevam e fazem con­vergir a Penacova centenas de pessoas. Sobre a Cooperativa disse ser mais um elo de ape­go à terra, que não deixará de apoiar, e assim, com mais esta iniciativa, de carácter empre­sarial, será mais um incentivo para ali se viver e «passarem a trabalhar por cá». Como disse, desde a primeira hora que acei­tou este desafio, estando neste projecto como simples cidadão, mas «que não nos acusem de não fazermos o possível para co­laborar com os jovens, pelo me­nos tentámos».

Quem somos?...


É a pergunta que os fundadores da Cooperativa lançaram nesse dia e que passamos a dar conhecimento: André Gonçalo Oliveira Amaro (relator do conselho fiscal), Hugo Borges Ferreira (presidente do conselho fiscal), Humberto Oliveira, José Filipe Marques do Vale (tesoureiro), Patrick Henrique Rodrigues Maia (secretário do conselho fiscal), Pedro Santos, Ricardo Torres da Silva (secretário da direcção), Rui Alves, Vasco Tiago Morais Santos (presidente da direcção).


  etiquetas ,