INCÊNDIOS - Dois pedreiros detidos por suspeita de fogo posto em Penacova e Tábua - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

13 de agosto de 2015

INCÊNDIOS - Dois pedreiros detidos por suspeita de fogo posto em Penacova e Tábua



Comprovada a origem criminosa do incêndio que deflagrou ao final de tarde de segunda-feira em Oliveira do Mondego, Penacova, a Polícia Judiciária (PJ) concluiu que também o fogo que deflagrou no mesmo dia, na zona da Serra da Atalhada foi provocado. O responsável será um homem de 55 anos, pedreiro desempregado, residente na localidade de Hospital, nas imediações do local onde o fogo teve origem, em Riba de Cima.

As chamas eclodiram às 16h56, depois de um primeiro alerta de fogo, que os Bombeiros de Penacova conseguiram dominar. Pouco depois, eclodiu o segundo, que ganhou for ça e galgou a serra, dizimando cerca de 120 hectares de mato e floresta. Um fogo combatido por mais de 250 bombeiros, que só foi dominado por volta da meia-noite de segunda-feira.

O autor será um pedreiro, actualmente desempregado, com graves problemas de alcoolismo, de acordo com fonte ligada à investigação. O homem, que estaria em casa, saiu e dirigiu-se à mata, onde, usando chama directa, ateou o fogo. Depois, virou costas e regressou à habitação, onde «foi dormir a sesta», refere a PJ. As informações recolhidas pelos investigadores conduziram à sua detenção, terça-feira à tarde.

Poucas horas depois, já de noite, foi detido um segundo incendiário, desta feita em Tábua. Em causa está um homem de 47 anos, igualmente pedreiro e com um quadro “negro” relativamente ao consumo de álcool. Segundo apurámos, terá sido, em tempos, bombeiro.

Residente na localidade de Quintela, a escassos três quilómetros de Tábua, o homem dirigiu-se à mata, perto de casa, por volta das 17h30 de terça-feira e ateou um primeiro foco de incêndio. Um popular que se encontrava nas imediações, apercebeu-se e empenhou-se em apagar as chamas, o que conseguiu.

Todavia não teve igual sucesso com o segundo incêndio, que o suspeito ateou a escassos 150 metros do primeiro, tarefa que coube aos Bombeiros de Tábua, tendo ardido cerca de um hectare de floresta.

A informação prestada pela testemunha à GNR de Tábua revelou-se fundamental para localizar o indivíduo e proceder à respectiva detenção, depois de recolhidos os necessários elementos de prova. Uma tarefa que os investigadores da PJ cumpriram já durante a noite de terça-feira. Os dois homens vão ser presentes hoje a tribunal, para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coacção consideradas convenientes. Com estas duas detenções, eleva-se a sete o número de incendiários detidos pela Directoria do Centro da PJ. A nível nacional são 33 os detidos.

Manuela Ventura - Diário de Coimbra