OPINIÃO - Os Mais Velhos - PENACOVA ACTUAL
PUB

ÚLTIMAS

PUB

Post Top Ad

27 de setembro de 2015

OPINIÃO - Os Mais Velhos

Hoje apetece-me dirigir o meu pensamento, o meu coração para os mais velhos. Estas pessoas algumas vezes são abandonadas. Sofrem na razão da sua própria ancianidade. Sofrem também em consequência de plurais indisposições que a idade avançada traz consigo. Todavia, o seu maior sofrimento decorre de não encontrarem as devidas compreensão e gratidão da parte daqueles de quem têm direito a esperá-la.

De facto, para os mais velhos devemos olhar com respeito; a eles devem a família a própria existência, a educação e formação que não raro foram pagos com trabalho árduo e com muito padecimento.

Não podem como é evidente ser tratados como se fossem inúteis, um estorvo. Embora saibamos que algumas vezes lhe faltam as forças para poderem executar as ações mais simples, têm naturalmente a experiência de vida e da sabedoria que muitas vezes faltam aos jovens.

Os Mais Velhos são mais do que nunca preciosos, e diria indispensáveis à família e à sociedade. Que inestimável ajuda dada pelos mais velhos aos jovens pais e aos pequeninos com a sua ciência e experiência. O seu conselho e ação são profícuos a tantos grupos e coletividades onde se inserem, e a tantas iniciativas no âmbito da vida eclesial e civil. Aos anciãos devemos ser reconhecidos!

Mas também os mais velhos têm necessidade, por sua vez, de ser apoiados e confrontados nas dificuldades em que possam vir a encontrar-se por causa da saúde e solidão.

Reconforta-me o coração e exprimo vivo apreço a todas as pessoas que sabem encontrar tempo e vontade de aproximar-se dos anciãos mais necessitados e responder às suas carências.

Creio que para resolver o problema dos mais velhos na sua globalidade, não se pode prescindir do seu papel e posição na família, que constitui a base de relações estáveis e duradouras entre as pessoas e desempenham um papel essencial no seu equilíbrio psíquico.

É na assunção deste papel, que os mais velhos deveriam perceber que quando a velhice chega, ou mesmo antes, o indivíduo deveria descobrir que possui virtudes morais que vão além das forças físicas e que praticar estas virtudes lhes possibilitará uma vida plena de satisfação.

Rosário Pimentel

Post Top Ad