OPINIÃO dos líderes partidários de Penacova, acerca da gestão municipal dos últimos dois anos




Obra feita, contas em ordem e futuro promissor

O Município de Penacova é dos poucos em Portugal que mantém uma plena gestão sustentável, tem crescido em vários indicadores, recuperando do atraso de que padeceu durante tantos anos, intervindo no apoio social, ao mesmo tempo que tem conseguido atrair empresas e emprego, dando assim melhores condições de vida aos seus habitantes. Mas isto é fruto de uma ímpar capacidade de gestão de Humberto Oliveira e da sua equipa e de uma motivação muito forte para o trabalho quotidiano em favor das causas públicas.

Foi criado o incentivo à natalidade, acompanhado de outras medidas no âmbito da educação, que têm posicionado as escolas do concelho em invejáveis lugares no ranking nacional. Nesse sentido, a aposta na educação é uma causa transversal, que nos assegura uma sociedade melhor e justifica que o município se empenhe em assegurar o pagamento integral dos manuais escolares para o 1º ciclo, o aumento de número de bolsas atribuídas, o reforço de pessoal nas escolas e jardins-de-infância, muito além do estabelecido na legislação, ou o investimento na escola de artes.

Quando ouvimos dizer que Penacova é cada vez mais um bom concelho para se viver, com um riquíssimo património, uma história que nos orgulha e que procuramos preservar cada vez mais, que trata bem a natureza e a aproxima das pessoas, gostamos de adicionar outras condições, como a redução do IMI para as famílias, infraestruturas públicas de qualidade, e uma governação focada no desenvolvimento vasto e harmonioso.

Uma das recentes apostas, que tanta gente tem trazido a Penacova, é a diferenciação das nossas qualidades naturais, onde são favorecidas atividades ligadas ao desporto na natureza, incluindo o centro de BTT, ou o Centro de Trail Running, nas magníficas paisagens que se erguem neste território. Mas também a requalificação do Museu do Moinho e espaços envolventes, ou no plano da preservação da memória histórica.

A gestão sustentável e equilibrada dos recursos financeiros do município geram margem para investir na requalificação urbana. É essa gestão adequada que liberta recursos para o apoio e reforço na área da proteção civil, com a celebração de protocolos de apoio com os Bombeiros de Penacova. São estas as razões e a estratégia no concelho de Penacova - fixar pessoas em Penacova, instalação de novas empresas, criando e proporcionando maior qualidade de vida aos penacovenses e a quem nos visita - são estes os nossos eixos prioritários: as Pessoas.

Ricardo Simões, Presidente da Concelhia do PS de Penacova


Défice de debate dos projetos

Em Penacova há défice de debate dos projetos, o que leva a que os resultados fiquem por vezes aquém do esperado. O executivo municipal não partilha ideias e tem dificuldade de aceitar outras propostas. São tiques das maiorias absolutas que levam à arrogância e à desconsideração das opiniões de outras forças políticas.

As obras do Terreiro são disso exemplo: Ninguém duvida das boas intenções e a maioria até concorda que o espaço ficou mais bonito, mas que não é funcional e não permite a paragem rápida para que o turista possa usufruir da sua beleza e admirar a paisagem. A CDU propôs o acesso direto do Terreiro ao Parque de Estacionamento para minimizar este problema. O recuo de uma casa devoluta seria uma solução económica e eficaz, mas até agora não teve acolhimento.

Nas estradas, há danos de intempéries que levam dois anos a entrarem em obra. E quanto ao IP3, o executivo mostra incapacidade para exigir a sua melhoria, eternizando-se os danos na plataforma e queda de taludes no espaço do concelho. Também em relação à Via dos Duques, desconhece-se qualquer posição da Câmara, apesar do debate que tem havido na sociedade e das posições já assumidas pelo PCP e por outros municípios.

O saneamento básico é uma área onde o concelho está mais atrasado e onde não houve qualquer evolução. Sabemos que algumas obras dependem de sistemas multimunicipais e de programas comunitários, mas outras podiam ter avançado. Pior são as obras da Carvoeira que enguiçaram e é o sistema da Rebordosa que está concluído há mais de 5 anos, continuando a aguardar pela fiscalização para entrar em funcionamento.

No turismo, reconhecendo como positivas algumas iniciativas de promoção do património, não podemos deixar de lamentar a falta de aproveitamento do caudal turístico que passa por Penacova para usufruir do Rio Mondego. Tal como a CDU tem proposto, a Câmara deve assumir maior liderança neste setor e, em colaboração com as empresas de animação turística, criar pacotes que incluam as descidas de rio, os transportes, a gastronomia, o património, o alojamento, fazendo com que quem nos visita, disfrute mais da nossa terra.

Da coligação de direita representada no executivo, não vemos melhores ideias, apenas oposição e crítica estéril, que transporta para a Assembleia Municipal onde por vezes se travam combates injuriosos entre elementos das bancadas da maioria e da coligação, em vez de debaterem assuntos de interesse para o concelho.

Notamos alguma evolução positiva na atividade cultural do concelho, com grande contributo da Escola de Artes, assim como positivas são as medidas de caráter social, de apoio à natalidade e aos manuais escolares, que vêm aliviar um pouco os efeitos da política de direita e de empobrecimento a que o governo nos sujeitou.

Eduardo Ferreira Membro da Concelhia do PCP


Um concelho à beira rio plantado

Ao fim de pouco mais de dois anos deste executivo socialista, o concelho de Penacova, continua parado no tempo. A falta de políticas sólidas e concretas que fomentem a fixação da população, a criação de emprego e o aproveitamento do potencial turístico do concelho continuam a não fazer parte da ordem do dia.

Penacova vive hoje uma situação de constrangimento patente para quem nos visita: acessos degradados, restaurantes fechados, inexistência de uma estrutura no centro da vila com capacidade para alojar quem pretenda pernoitar e com consequentes repercussões ao nível do comércio local, o que é cada vez mais escasso e tenta sobreviver.

A falta de visão estratégica para o aproveitamento das suas paisagens naturais é gritante. Ao contrário do resto do país, em que a aposta é clara no turismo, em Penacova, tal não acontece em conformidade com o seu potencial. Nem o facto de termos das melhores praias fluviais (reconhecidas com bandeira azul) nos salva.

Sendo um concelho maioritariamente rural é de lamentar também a falta de estratégia do município para o aproveitamento do potencial agrícola, não oferecendo uma resposta capaz e concreta para as necessidades de quem pretende apostar nessa área.

Não posso deixar de destacar a importância das instituições de solidariedade social do concelho no apoio à população mais desfavorecida, apoio este que vai desde a assistência médica, ao transporte de doentes e idosos, passando pelo fornecimento de pelo menos uma refeição digna aos seus utentes, substituindo em larga escala as obrigações deste município socialista para com as suas gentes.

Carlos Filipe Barbas Presidente da Concelhia do CDS-PP


Penacova em gestão corrente, aguarda novo timoneiro

O Concelho de Penacova está a ser gerido sem qualquer visão estratégica. O atual presidente da câmara e o seu executivo limitaram-se a concretizar os grandes projetos que tinham ficado delineados, pelos executivos do PSD, como a concretização das zonas industriais ou a conclusão da biblioteca/centro cultural. Alguns projetos que reformularam, como a requalificação da vila, trouxeram enormes prejuízos aos comerciantes e aos penacovenses em geral, o que se tem traduzido no encerramento de restaurantes e numa vila completamente deserta de visitantes.

Apesar da dinâmica verificada, a nível nacional, no sector do turismo, com um crescimento deste sector na ordem do dois dígitos, nos últimos três anos, com consequente impulso dado ao empreendedorismo e emprego nesta área, Penacova foi incapaz de manter em funcionamento uma referência gastronómica como o famoso “Restaurante Panorâmico”, propriedade do Município, ou ter capacidade para participar ativamente numa solução para o Hotel de Penacova.

As grandes opções do plano, o plano plurianual de Investimentos e o orçamento do município, recentemente aprovados pelo executivo municipal, com os votos contra dos vereadores do PSD, são documentos de mera gestão política corrente. Revelam falta de ambição e visão e denotam a total ausência de uma estratégia credível, sólida e consistente que o Concelho tanto necessita.

A gestão do Concelho tem apenas como objetivo gerir o imediato, navegar à vista, promovendo atividades que garantam notícias coloridas nos jornais, esquecendo as populações que nas diversas freguesias do município de Penacova anseiam por infraestruturas que tardam em chegar. O saneamento foi esquecido, a remodelação da rede de abastecimento de água foi promessa que nunca saiu do papel, a dinamização do empreendedorismo empresarial foi trocada por empregos na câmara e noutras empresas municipais que controla. Só no orçamento do município, para o ano de 2016, está contemplado um aumento nos custos com pessoal de aproximadamente 50 mil euros por mês, 600 mil euros por ano, agravado com o aumento dos custos com pessoal de empresas municipais que não está contemplado no valor apresentado.

Penacova necessita, urgentemente, de sair desta política de gestão corrente e eleger para a presidência do município um timoneiro que dinamize medidas concretas e projetos estruturantes que ajudem a travar o despovoamento, que criem emprego e que apostem nos recursos locais: o turismo, o património e as boas acessibilidades, através da atração de investimento.

Carlos Sousa Presidente da Concelhia do PSD




*Textos de opinião originalmente publicados na edição impressa do Diário As Beiras de 03.12.2015

  etiquetas , , , ,