PENACOVA divulga a sua “paixão” dentro de uma caixa



A ideia é muito simples: pegar em produtos emblemáticos do concelho e juntá-los numa caixa, uma espécie de cabaz que pode ser comprado como recordação ou para oferecer a alguém.

Trata-se de artesanato, através dos moinhos construídos em palitos, ou os palitos rendilhados da D. Palmira, o azeite do Relvão, o mel com essências de Miro, ou a história de D. Teresa.

A esta faceta imaterial do projecto, junta-se a imaterial, através das histórias que acompanham os produtos, ou pelas visitas promovidas pelo “Portugal Com Paixão”.

Ontem, na apresentação, que decorreu no Café Turismo, António Jorge Franco, que dinamiza a ideia conjuntamente com Diogo Ribeiro e Ana Manarinno, explicou que se pretende «dar a conhecer o património material e imaterial de Penacova», mas, também, «contribuir para que muitas destas coisas não desapareçam».

Mesmo antes desta iniciativa ter sido dada a conhecer ao público, refira-se que, já no ano passado, em duas ocasiões, Penacova recebeu a visita, no âmbito deste projecto, de 1.500 pessoas oriundas de Coruche.

Com projectos similares já em vigor, por exemplo, em Coimbra e Mealhada, só para falar dos mais próximos, está para breve o lançamento de iniciativas congéneres em Viseu, Idanha-a-Nova, Arganil e Castanheira de Pera, considerando António Jorge Franco que «se trata de «uma mais-valia para Portugal, este projecto, feito com muita paixão».

Já o presidente da Câmara Municipal de Penacova, Humberto Oliveira, garantiu que, «quando fomos abordados dissemos logo que sim», até porque, «António Jorge Franco não veio pedir nada à autarquia, veio antes oferecer».


O autarca salientou que «poderiam estar aqui mais produtos - os perecíveis, como a doçaria não entram no lote por razões óbvias -, mas estes representam Penacova», destacando o artesanato, mas também o Lorvão, «a principal mais-valia em termos turísticos», o azeite, representando os produtos endógenos, e o mel.

Relativamente a este último produto, deixou palavras elogiosas para o Grupo de Solidariedade Social, Desportivo, Cultural e Recreativo de Miro, que «tem um projecto de valoriza- ção dos produtos locais endógenos».

Humberto Oliveira destacou ainda a particularidade turística da localidade de Miro, bem como de Paredes, «as duas únicas do concelho que estão viradas para os dois rios, o Alva e o Mondego».

 A caixa “Feelings in the box” vai estar à venda em diversos espaços do concelho, como é o caso dos restaurantes e outros estabelecimentos locais, bem como no posto de turismo da autarquia, entre outros.


Projecto de aproveitamento turístico da EN2 pode ser outra mais-valia

Com a caixa “Penacova com Paixão” a começar com cinco produtos, com a possibilidade de aumentar, Humberto Oliveira lembrou que o recente projecto para o aproveitamento turístico da EN2, a maior estrada do país, «pode ser uma mais-valia no futuro», garantindo que, tal como acontece com o produto ontem apresentado. «É com projectos destes que contamos para desenvolver o concelho e a região», disse.

  etiquetas , ,