EXERCÍCIO - Cadetes da Escola Naval vão descer o rio Mondego a partir de Penacova - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

27 de janeiro de 2016

EXERCÍCIO - Cadetes da Escola Naval vão descer o rio Mondego a partir de Penacova

A Escola Naval vai realizar uma descida do rio Mondego com botes de borracha a remos, entre a vila de Penacova e a cidade de Coimbra, nos dias 4 e 5 de Fevereiro.


O percurso fluvial a executar tem aproximadamente 24 quilómetros, sendo que, no dia 4, será realizado um percurso de dois quilómetros (prólogo), com início na localidade de Travasso e término a montante do açude de Vila Nova. Os cadetes irão pernoitar em tendas no parque de campismo municipal e no dia seguinte, pelas 7h00, embarcarão em duas dezenas de botes de borracha a remos disponibilizados pela Unidade de Meios de Desembarque do Corpo de Fuzileiros da Marinha, efectuando um percurso de 22,4 quilómetros, com início a jusante do açude de Vila Nova e a terminar na Praça da Canção, em Coimbra.

Para esta actividade, além dos cerca de 120 cadetes, alunos do 2º, 3º e 4º anos dos cursos do mestrado integrado da Escola Naval, estão também convidados outros alunos, nomeadamente da Academia Militar, Academia da Força Aérea e do Instituto de Ciências Policiais e Segurança Interna. O total de participantes no evento rondará as 180 pessoas, entre cadetes, alunos convidados e organização. Elementos da Unidade de Meios de Desembarque do Corpo de Fuzileiros da Marinha, conjuntamente com uma equipa de mergulhadores da Armada, ambos do Comando Naval, irão assegurar apoio e garantir a segurança do evento.

O exercício tem como objectivo principal proporcionar aos cadetes, futuros oficiais de Marinha, a «prática e consolidação dos ensinamentos e valores da formação militar, cívica e humana que, diariamente, são ministrados» naquele estabelecimento de ensino superior militar.

A descida do Mondego, refere a organização, apresenta vários desafios naturais (rápidos, baixios, praias fluviais, orografia de perfil variável, meteorologia) e obstáculos artificiais (açudes, pontes rodoviárias e pedonais, actividade náutica recreativa). Assim, explica, em torno de um objectivo comum, cada bote de borracha, guarnecido por seis ou sete cadetes, terá de «suplantar de forma sucessiva e continuada os desafios, adversidades e contratempos que um exercício desta natureza acarreta, cimentando construtivamente, pagaiada após pagaiada, a capacidade de liderança individual e colectiva, o sentido de camaradagem, o espírito de corpo e a coragem física e moral de todos os participantes».

O evento conta com a colaboração institucional das câmaras de Coimbra e de Penacova.

A iniciativa será também uma oportunidade para os cadetes da Escola Naval tomarem conhecimento da história e cultura da cidade de Coimbra, visitando, na manhã de dia 4, em colaboração com a Reitoria da Universidade, alguns espaços da área classificada como património mundial, nomeadamente o Museu da Ciência e o Paço das Escolas, incluindo a Biblioteca Joanina (Piso Nobre, Piso Intermédio, Prisão Académica), a Capela de S. Miguel e o Paço Real (Sala dos Capelos, Sala das Armas e Sala do Exame Privado).

Complementando a presença da Escola Naval em Coimbra e Penacova, o Gabinete de Relações Públicas e Divulgação do estabelecimento de ensino militar irá desenvolver acções de divulgação em escolas do ensino secundário.

A Escola Naval é comandada pelo contra-almirante Edgar Marcos de Bastos Ribeiro e o exercício de descida do Rio Mondego decorrerá sob o comando do capitão-de-fragata João Pedro Barbosa, comandante do corpo de alunos.