MONTARIA - Friúmes “a postos” para receber os “últimos” caçadores



A Reserva de Caça da Freguesia de Friúmes quer encerrar a época em “grande”, com a caçada marcada para domingo. Caçadores não faltam, tendo em conta que, com as inscrições «praticamente encerradas, já são 80 os monteiros inscritos», faz notar Miguel Santos, da organização. O local é de “eleição”, garante, pois trata-se de um amplo território, «onde há sete ou oito anos - desde o ano anterior ao grande incêndio que assolou a região - não se realizam montarias». Um dado que, só por si, garante a presença de um grande número de animais. Todavia, a monitorização que a Reserva tem vindo a fazer, através de «visionamentos vídeos», assegura que assim é. Miguel Santos aponta mesmo um “navalheiro”, um javali adulto de grande porte, «seguramente com mais de 150 kg».

Com caçadores empenhados, animais com “fartura”, só falta mesmo uma pontaria “afinada”, ou como diz o ditado dos caçadores, que “o chumbo não seja comprado no arco do cego”. Aliás, de certa forma foi isso que se verificou na primeira montaria organizada esta época pela Reserva da Freguesia de Friúmes, no início de Dezembro. «Abatemos quatro porcos adultos e houve inúmeras fugas», recorda Miguel Santos.

Com uma larga experiência de mais de uma década na organização de caçadas, os responsáveis pela Reserva preparam-se para encerrar a época da melhor forma, com um “naipe” significativo de caçadores, boas perspectivas em termos de animais e também com uma logística a preceito, no que se refere à arte de bem receber. A Quinta da Nora, em Miro, voltou a ser o local escolhido e, “como em equipa que ganha não se mexe”, também a ementa mantém o figurino de Dezembro. Assim, o “taco” ou pequeno almoço, servido entre as 9h00 e as 10h00, apresenta arroz de fressura, canja e bifanas como prato principal. Com os estômagos aconchegados, os caçadores partem, para a zona de caça (mancha) de onde devem regressar por volta das 15h00/15h30. À sua espera têm uma sopa à lavrador e leitão assado à moda da Bairrada, que promete ser “de comer e chorar por mais”. Depois do almoço, assiste-se ao leilão dos animais abatidos, que se espera sejam em número significativo.

Com as inscrições «praticamente encerradas», os mais distraídos ainda podem “tentar a sua sorte” e participar nesta montaria. As inscrições podem ser feitas junto de Miguel Santos, através do telefone 966 545 521. A caçada conta com o apoio da União de Freguesias de Friúmes e Paradela e da Câmara de Penacova.

A partir de agora, a Reserva de Caça da Freguesia de Friúmes entra em período de “defeso” no que a montarias diz respeito. «Só fazemos esperas», esclarece Miguel Santos, salientando que estas situações, legalmente previstas, se prendem com queixas de proprietários, motivas por estrago provocados pelos animais. Uma situação que se tem vindo a tornar recorrente, com javalis a “visitarem” hortas e quintais situados atrás das casas, em várias aldeias da freguesia, adianta aquele responsável.

Manuela Ventura | Diário de Coimbra

  etiquetas , ,