FEIRA DAS TRADIÇÕES - Lorvão mostra cultura e tradições da freguesia



A Feira de Tradições começa hoje no Lorvão e até domingo vai mostrar o muito e bom trabalho que se faz na freguesia. Sobretudo por parte das 18 colectividades, que representam as nove localidades da freguesia, explica o presidente da Junta, entidade que promove o certame, que encara como «uma forma de dar visibilidade» ao associativismo local, cuja expressão se estende ao domínio cultural, à música, mas também ao desporto e à gastronomia.

Esta é a terceira edição da feira, uma iniciativa do actual executivo, presidido por Rui Batista, que procurou «redefinir» o certame «moribundo» que se realizava no Lorvão. Nesse sentido, foi «efectuado um levantamento, junto dos artesãos e das associações», que orientou o novo figurino da feira, que se estreou aquando da inauguração do órgão do Mosteiro.

A feira decorre no espaço do jardim do Mosteiro, com 10 tasquinhas, a cargo das associações, e 20 artesãos. Além dos emblemáticos paliteiros, a arte do Lorvão por excelência, o autarca local destaca a participação de artesãos que fazem, em pedra, miniaturas de edifícios rústicos da freguesia, das bordadeiras, produtores de licores, doçaria conventual, chás, mas também legumes, fruta, queijos, enchidos e broa, «tudo de produção caseira», garante Rui Batista. Também as escolas marcam presença, visando «angariar receitas para as suas actividades».

O certame abre hoje às 10h00, embora a inauguração oficial seja às 12h30, e inclui um vasto programa de animação. Hoje actua a classe de guitarras do Grupo de Jovens da Aveleira, há demonstrações de kempo chinês, zumba, actuação do Grupo de Concertinas do Caneiro e concerto com a Filarmónica Boa Vontade Lorvanense, terminando a noite com karaoke. Noite que, sábado, tem um dos momentos altos, com o II Desfile Moda Lorvão. Uma experiência testada «com grande sucesso» no ano passado, recorda Rui Batista, salientando que amanhã, às 21h30, na passerelle vão «desfilar cerca de 100 modelos da freguesia» prometendo «uma noite memorável». Ainda sábado, ao final da manhã, destaque para a apresentação da Escola de Artes de Penacova, com as classes de guitarra clássica, violino, dança desportiva e teatro. Ao final da tarde é o Grupo de Cavaquinhos da Rebordosa que sobe ao palco.

Domingo, a feira abre às 10h00 e Rui Batista destaca a realização, à tarde, de uma visita guiada, gratuita, ao Mosteiro, monumento que abraça a vila e acolhe o certame nos seus jardins. O autarca destaca, de resto, o apoio da Câmara de Penacova e a colaboração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. 

Manuela Ventura - Diário de Coimbra

  etiquetas ,