AMBIENTE - Pedro Coimbra questiona Governo sobre o impacto ambiental das antigas minas em Tábua



Pedro Coimbra, presidente da Assembleia Municipal de Penacova, na qualidade de deputado socialista em périplo pela região de Coimbra, questionou o Governo sobre a requalificação ambiental das antigas Minas do Mondego Sul, situadas em Ázere, concelho de Tábua.

As Minas do Mondego Sul são «umas das antigas e desativadas minas de urânio que ainda não foram descontaminadas e requalificadas ambientalmente», afirma, na interpelação ao Governo, o deputado.

Trata-se de minas «encerradas desde 1988», localizadas numa «actual lagoa a céu aberto, muito perto do rio Mondego e da barragem da Aguieira», que «implicam risco elevado de contaminação de água e terrenos», sustenta Pedro Coimbra, também presidente da Federação Distrital do PS.

«A recuperação ambiental [daquelas minas] tem sido sistematicamente esquecida, ignorada ou adiada, o que coloca em perigo inúmeras populações», adverte o deputado, eleito pelo círculo de Coimbra.

Além da «utilização directa do rio e barragem» por «habitantes das povoações locais, turistas e desportistas», há, a jusante, «inúmeras captações de água para consumo humano, que abastecem dezenas de milhares de cidadãos», salienta.

Na pergunta ao Governo, o deputado também manifesta preocupação «pela eventual radioatividade existente», podendo «estar em causa possíveis problemas de saúde pública, da fauna e da flora existente».

Pedro Coimbra solicita, por isso, «esclarecimento sobre o ponto de situação» relativamente à «intervenção e requalificação ambiental» das Minas do Mondego Sul.

A requalificação ambiental das antigas minas de urânio em Tábua, conclui, é «naturalmente, urgente e necessária, pois coloca em causa a boa qualidade dos recursos e as populações que deles necessitam e usufruem»

  etiquetas ,