CICLO DE CONCERTOS - “Sons do Bussaco" arranca a 28 de janeiro com o norte-americano Terry Lee Hale - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

12 de janeiro de 2017

CICLO DE CONCERTOS - “Sons do Bussaco" arranca a 28 de janeiro com o norte-americano Terry Lee Hale


A Fundação Mata do Buçaco (FMB) apresentou a temporada de 2017 do ciclo de concertos “Sons do Bussaco - Músicas do Mundo”, que irá começar, no dia 28 de janeiro, às 21h30, no Convento de Santa Cruz, na Mata Nacional do Buçaco (Luso, Mealhada), com o espetáculo do cantor e guitarrista norte-americano Terry Lee Hale.
“Sons do Bussaco” prosseguirá, no dia 25 de fevereiro (sábado de carnaval), à mesma hora, com o concerto do grupo Forró Mior, composto por músicos oriundos do Brasil, Argentina e Itália. No dia 4 de março, também às 21h30, será a vez do artista português “O Gajo” subir ao palco do Convento de Santa Cruz. Tiago Saga, líder do projecto luso-britânico Time For T, dará um espetáculo no dia 8 de abril. Esta primeira parte da temporada “Sons do Bussaco 2017” encerra, no dia 20 de maio, com o projeto “On The Road”, composto por Tó Trips e Tiago Gomes. 
Tal como aconteceu na temporada de estreia deste ciclo de concertos, decorrida entre junho e novembro de 2016 e que contou com nomes como Kimi Djabaté (Guiné-Bissau), Grutera (Portugal), Filipe Antunes (Brasil), A Jigsaw (Portugal) e Tom Brosseau (USA), também a segunda temporada resulta de uma parceria, na produção dos espetáculos, entre a FMB e a MAAC - Motivos Alternativos Associação Cultural, e o apoio da Mutante - Art, Culture & Lifestyle Magazine. Este ano, juntam-se os mecenas Unimadeiras e Vinhos Borges (grupo JMV). 
Na opinião do presidente da FMB, António Gravato, os “Sons do Bussaco” representam “a oportunidade soberana de conciliar boa música, de culturas completamente distintas e expressão de uma universalidade artística rara e imperdível, com a beleza histórica de um espaço fabuloso - o convento de Santa Cruz - que é palco destes concertos que promovemos e que só são possíveis graças aos inestimáveis apoios do produtor Pedro Seixas (líder da MAAC), da Unimadeiras, do grupo JMV/Vinhos Borges, da Mutante, da Associação Escolíadas, da Câmara Municipal da Mealhada, dos colaboradores da FMB, das unidades hoteleiras e similares da região e, ‘last but not least’, do público, razão primeira do nosso trabalho”.
Já a administradora do Grupo JMV, Rosa Maria Vieira, entende que estar associado ao ciclo “Sons do Bussaco - Músicas do Mundo”, “para além de representar uma honra para a Sociedade dos Vinhos Borges, significa um importante apoio à manutenção de uma das mais bonitas matas de Portugal”.
Por seu turno, Jorge Loureiro, presidente executivo da Unimadeiras, que tem como lema “a floresta é a nossa vida”, lembra que a empresa que lidera tem uma forte consciência ambiental e, por isso, procura estar atenta às necessidades de entidades e organismos que promovam a preservação da floresta.  “Sendo a Mata Nacional do Buçaco uma referência de conservação e valorização ecológica e sendo ainda candidata à classificação como Património Mundial da UNESCO, torna-se natural o apoio da Unimadeiras às iniciativas culturais nela integradas, como o ciclo de concertos ‘Sons do Bussaco - Músicas do Mundo’”, explica Jorge Loureiro, deixando um desafio: “escute e sinta o ‘Mundo” no Buçaco.
Sábado, 28 janeiro, 21h30 
TERRY LEE HALE (USA)  


Terry Lee Hale nasceu em 1953, em San Antonio, Texas, e desde cedo viajou pelos EUA, aprendendo música, escrevendo e fascinando-se com os sons da guitarra. Terry recorda na sua infância a viagem desde o Texas, no banco de trás de um velho Nash Rambler, por Cellilo Falls, o ferry-boat ao longo do rio Columbia, Hank a tocar na rádio, a música de Fats Domino, de Tennessee Ernie Ford, de Jim Reeves e de Johnny Cash até Seatle. 
Três anos após o lançamento do magnífico “The Long Draw”, Terry Lee Hale editou em 2016 “Bound, Chained, Fettered”, um disco composto por nove canções elegantes, sonhadoras e que destilam intimidade.
Sábado, 25 fevereiro, 21h30 
Forró Miór (Brasil/Argentina/Itália)  


Forró Miór é considerada pelo Le Monde como uma das mais inspiradas bandas do género. Embora o projecto nasça da admiração e amor pelas imortais composições do grande Luis Gonzaga, o quarteto italo-argentino-brasileiro apresenta interpretações e músicas originais que misturam a tradição do nordeste brasileiro com ritmos de outras latitudes latinas como a milonga, rumba ou candombe. O resultado é um espectáculo explosivo com tons de latin jazz e world music, fazendo com que todos se movam e dancem, mesmo não sendo dançarinos de forró. 
O quarteto é composto por Nicolas Farruggia na guitarra e voz, Alberto Becucci no acordeão, Timóteo Grignani na zabumba (instrumento musical de percussão, que se assemelha a um tambor de tamanho médio ou grande) e N Iccolò Pacini no triângulo. 
“Among the most inspired and renowned bands of this traditional Brazilian genre” - Le Monde 
“Forró Miór is constantly looking for new melodic and rhythmic influences from all over the world... and their album Trotamundos is a wonderful proof of it” - Brasil, Radio 1 RAI 

Sábado, 4 março 21h30 
O Gajo  
O Gajo é um viajante que percorre os caminhos da música popular, fado, folk e rock. “Ontem peguei na Viola Campaniça e fiz mais uma música... Um emaranhado de notas que tem por objetivo principal soar-me bem. Transportar-me para onde quero sem ter de mexer mais do que os meus dedos. Arranco sempre de Lisboa, mas o destino nunca é certo. Outra cidade? Outro país? ...limito-me a ir. Umas vezes a passo lento, como quem quer saborear todas as paisagens, outras à velocidade da luz, numa simples e rápida explosão de energia. Já viajei com os textos do John Cale ou ou do Orwel, com as músicas do Tom Waits ou dos Wovenhand ou ainda com as imagens do Ryden ou do Drooker, mas às vezes gosto de ser eu a escolher o caminho. Por norma viajo sozinho, mas arranjo lugar aos que aceitem o desafio de desemaranhar as minhas notas”, descreve o músico. 

Sábado, 8 abril 21h30 
Tiago Saga (Time For T)  
Tiago Saga é um rapaz confuso de herança britânica mas criado no Algarve.
De murmúrios a gritos melódicos, de voz rasgada e de guitarradas dedilhadas a comboios de ritmo, o Tiago já tem um percurso bem assinalado com concertos desde Nova Iorque a Paris e de Londres a Beirute tanto com a sua banda, Time For T, como a solo.
O EP de estreia ‘Busy with my Head’ saiu em Abril de 2016 e foi muito bem recebido por parte da imprensa inglesa e portuguesa.
"An innovative and wildly imaginative songwriter." - Clash Magazine
"Tiago Saga is one of the UK's most inspiring singer songwriters. The imaginative artist writes lyrics about real things, words that get you thinking." - It's all Indie 

Sábado, 20 maio 21h30 
On The Road com Tó Trips e Tiago Gomes  
Este espectáculo nasceu em 2007 (data em que se assinalava o 50º aniversário do lançamento daquela que viria a ser a obra seminal da ‘geração beat’) e consiste numa banda sonora para o livro de Kerouac, “On The Road”, interpretada por Tó Trips, em guitarra e efeitos vários, e por Tiago Gomes, lendo excertos desta obra, acompanhados por um vídeo-beat de Raquel Castro. 
É de facto a viagem, uma estrada perdida e infinita para onde os dois performers e o vídeo remetem o espectador, para a Route 66, América de todos os sonhos que aqui são todas as estradas do mundo: vias rápidas, estradas secundárias, desertos, cidades perdidas na noite e becos sem saída. 
On The Road de Tó Trips e Tiago Gomes celebra este ano 10 anos e o duo certamente terá alguma surpresa reservada para este espetáculo.