SAÚDE - Ordem dos Médicos critica titulares do Ministério da Saúde por desconhecerem a realidade das urgências hospitalares


A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) avalia negativamente as afirmações dos responsáveis do Ministério da Saúde que nos últimos dias se têm desdobrado a omitir a realidade das urgências hospitalares. “Afirmar que não existiram nem existem dificuldades nos serviços de urgência hospitalar, afirmar que não houve tempo de espera excessivo após a triagem e dizer que não há ineficiência por falta de meios é, no mínimo, insultuoso face ao enorme trabalho e dedicação dos profissionais”. Mais:  “É desconsiderar as muitas horas que os doentes estiveram nas urgências”, aponta o presidente da SRCOM, Carlos Cortes.

Garantir que o aumento da atividade gripal não provocou o caos nas urgências é estar ausente da realidade. Há situações muito complicadas em várias unidades da região Centro, doentes que aguardam em macas, serviços depauperados de profissionais e material. Deveriam os responsáveis da tutela da Saúde visitar os serviços de urgência sem anúncio prévio para perceberem a dimensão do dislate da afirmação proferida”, critica Carlos Cortes.

O primeiro passo para resolver o problema é reconhecê-lo. Negar o que acontece nas Urgências é preocupante e demonstra o total desconhecimento do Ministério da Saúde sobre esta questão”, garante o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos.

  etiquetas , ,