HORA DE VERÃO - Especialista alerta para efeitos da mudança da hora



O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono aconselha as pessoas a anteciparem lentamente a mudança da hora, deitando-se um pouco mais cedo, para minimizar «os prejuízos » que esta alteração causa no organismo.

Na próxima madrugada entra em vigor o chamado horário de Verão. De acordo com a legislação, quando for 1h00 os ponteiros do relógio devem ser adiantados 60 minutos, para as 2h00, daí resultando menos uma hora para descansar.

Uma alteração que levou Miguel Meira e Cruz a alertar que «desafiar o tempo interno é um risco real para a saúde» e a apontar algumas formas de o minimizar.

«Apesar da solução para os problemas decorrentes da mudança da hora estar unicamente na abolição desta medida, é possível minimizar alguns dos efeitos assumindo alguns cuidados», defende o especialista em medicina do sono.

Neste contexto, diz Miguel Meira e Cruz, «é importante», no que respeita ao sono, que as pessoas se deitem «um pouco mais cedo nos dias que antecedem o adiantar dos ponteiros » uma hora. Por outro lado, adverte, «adiantar os ponteiros significa para algumas pessoas com cronotipo matutino, deitar-se ainda com sol, o que pode dificultar o adormecer e afectar a continuidade do sono».

«É importante que, nestas circunstâncias, o quarto seja mantido escuro e com temperaturas adequadas (nem muito frio, nem muito calor) para que o sono se processe da melhor forma», aconselha o presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono.

O especialista aponta ainda outras razões para se considerar totalmente inoportuna a mudança que ocorre duas vezes por ano. Apesar de ser sobre o sono que estas alterações horárias parecem ter mais efeitos, cada um dos órgãos sofre «um desajuste que demora bem mais tempo a recuperar do que o desacerto do ciclo vigília sono», refere.

  etiquetas , ,