CULTURA - Recuperação do património é aposta da DRCC desde 2011

Celeste Amaro garantiu ontem que, desde 2011, a Direcção Regional da Cultura do Centro (DRCC) «tem investido todo o seu dinheiro do Plano de Actividades na recuperação do património» e que só no último quadro comunitário teve disponíveis 22 milhões de euros para esse fim, respondendo a candidaturas feitas pela DRCC.

A directora regional da Cultura do Centro falava na sessão de abertura da conferência “Património Cultural e Turismo Sustentável - Boas Práticas”, que decorreu ontem à tarde no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e que foi uma das iniciativas promovidas pela DRCC para assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios que se comemorou ontem.

A recuperação do património foi, assim, assumida por Celeste Amaro como uma aposta para atrair à região, nomeadamente a Coimbra, mais turistas, tendo em conta, como afirmou durante a sessão, que neste momento é «a segurança, mas também o património classificado» que estes procuram.

E, nesse aspecto, «Portugal, está na moda», sublinha a responsável, falando no quanto o nosso país está a atrair os turistas que estavam habituados a ir para o Norte de África e que, devido ao sentimento de insegurança de alguns países, nesta zona, deixaram de o fazer. A recuperação do património faz, por isso, todo o sentido, como forma de atrair o turismo e de lhe mostrar o melhor.

«O turista procura património, mas não só o património. Procura tudo o que é diferente», continuou Celeste Amaro, aproveitando para falar nos números de Fevereiro do Banco de Portugal que provam que «o Turismo é o sector de exportação mais importante no nosso país». «Representa 16,7% das exportações relacionados com bens e serviços», afirmou, falando em 2.380 milhões de euros.

A sessão serviu também para serem apresentados «quatro casos práticos de turismo sustentável» de sucesso em que o património cultural é entendido como factor chave para o desenvolvimento sustentável dos territórios e destinos turísticos. É o caso dos Passadiços do Paiva, em Arouca, apresentados por António Duarte; da Cooperação para a Valorização Turística e Sustentável dos Territórios. Do vale do Côa às Terras do Lince, apresentado por Dulcineia Catarina Moura; da Grande Rota do Zêzere, apresentada por Rui Simão e ainda do projecto “Viagens com Autores”, apresentado por Rui Pinto Lopes.

Diário de Coimbra

  etiquetas , ,