AUTÁRQUICAS - António Simões e Rui Rio discutiram o Poder Local em Penacova


Rui Rio, ex-autarca portuense, esteve ontem em Penacova, onde participou, enquanto orador convidado, no debate “Poder local: gestão e política”. Perante um auditório cheio, o debate desenrolou-se dinamicamente sob a moderação do penacovense António Martins, professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, no qual participou ainda o candidato à Câmara Municipal de Penacova apoiado pelo PSD local, António Simões.

Aproveitando para fazer a apresentação das linhas gerais do programa eleitoral da sua candidatura autárquica “Por Penacova”, António Simões vincou a necessidade de dar um novo rumo à gestão do município. Foi neste contexto que o candidato, que é também Comandante da Associação de Bombeiros Voluntários de Penacova, sublinhou o papel das autarquias na área da coesão social, vincando a urgência de atender a várias situações pessoais dramáticas “que todos nós conhecemos e que se encontram gravemente esquecidas”. Assumindo-se entusiasmado e revigorado com este novo desafio na sua vida, António Simões enalteceu o enorme potencial que mesmo os concelhos de menor densidade populacional poderão ter, na construção de alternativas para a região: “se devidamente solidários, em cooperação constante os nossos parceiros regionais e através de uma liderança forte”, serão criadas condições para um maior apoio ao tecido empresarial local, garantindo um aumento da capacidade de retenção dos jovens valores, que se têm visto obrigados a procurar alternativas noutras regiões.

Rui Rio, por sua vez, aproveitou a oportunidade para partilhar as suas vivências e aprendizagens durante os 12 anos em que liderou a segunda maior cidade do país. O ex-autarca deu particular ênfase às vantagens da política de proximidade, características do poder local: “Nós devemos ter sempre o decisor o mais perto possível do problema. Porque quando o decisor está mais próximo do problema, a probabilidade de decidir bem é muito maior do que quando está longe” – afirmou. Rui Rio usou o seu próprio testemunho enquanto autarca de uma câmara inicialmente sufocada pelo forte endividamento (e que o próprio conseguiu, a custo, recuperar) para ilustrar a relevância do papel de gestor que um líder municipal necessita de saber desempenhar. No seguimento desta intervenção, o orador convidado alertou ainda para a importância de um projeto eleitoral de prioridades fortes e bem definidas, reforçando que a abundância de promessas eleitorais genéricas é prenúncio de futuros executivos incapazes de as cumprir.

  etiquetas , ,