NOTA DO MUNICÍPIO - As Contas e as Pessoas - PENACOVA ACTUAL

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

8 de maio de 2017

NOTA DO MUNICÍPIO - As Contas e as Pessoas


A realização de despesas, sejam elas feitas por uma família, por uma empresa, ou por uma autarquia, comporta decisões que por vezes a leitura dos números não espelha e que por isso merecem ser lembradas. Estas decisões correspondem a opções estratégicas que marcam um tempo e têm significado na vida dos seus destinatários.

A gestão deste Executivo do Município de Penacova assenta numa visão virada para as Pessoas e para o seu Bem-Estar. Isto podia muito bem ser demonstrado em todas as esferas da sua atuação. Mas apenas como exemplos, lembramos o forte investimento na Escola de Artes, proporcionando condições aos jovens, até aqui só existente nos grandes centros. Enfatizamos o horário alargado nas nossas escolas e jardins de infância, adaptando-os à atividade laboral dos pais, cujos valores pagos às IPSS’s  ascendem a 245.565,82€. Sublinhamos o apoio e incentivo à natalidade, no montante de 143.034,15€, em que todo o valor pago é aplicado na economia de Penacova. Mas podíamos falar em muito mais áreas, como a descentralização e fomento de políticas de proximidade com transferências substantivas às Juntas de Freguesia, que só em 2016 ascendeu a 880.810,90€, os programas culturais, o arranjo urbanístico, os mais de 260.000,00€ transferidos para as associações, entre tantos e tantos outros aspetos que podíamos enunciar. Mas acreditamos que a memória das pessoas prevalece.

Quando a análise a todo o espectro dos municípios portugueses colocou o de Penacova em lugares cimeiros, teve em consideração a sustentabilidade das suas boas contas e o cumprimento dos seus compromissos. A este propósito, importa recordar que a dívida em 2009 se cifrava nos 2.943.395,53€ e que hoje ela representa bem menos de metade, sendo de 1.310.465,98 e com plano de redução confiável. Só nos dois últimos anos a dívida do Município de Penacova diminui em mais de 470.000,00€.

Como se atravessa uma das maiores crises económicas de que há memória, se acorre às situações sociais dramáticas, se investe em vez do governo central (como aconteceu quanto ao governo anterior) para que não fossem retirados serviços públicos aos nossos cidadãos, se baixa a dívida, como se apoia mais as pessoas e as instituições, se estimula o emprego e o desenvolvimento e ainda se faz investimento público no Concelho? Com estratégia, boa gestão, e colocando as Pessoas no centro das nossas prioridades.

Pensamos que esta é a gestão moderna que responde às grandes questões do nosso tempo. E que coloca cada vez mais Penacova na senda do desenvolvimento. Todos saberão ver as diferenças: o que éramos antes e o que somos hoje.

Humberto Oliveira