COOPERAÇÃO - Encontro Ibérico potencia projectos transfronteiriços


A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a Federação Espanhola de Municípios e Províncias (FEMP) reuniram-se ontem, no convento São Francisco, em Coimbra, para delinear uma estratégia conjunta que permita alavancar projectos transfronteiriços. Os objectivos destes acordos visam potenciar um desenvolvimento sustentado em áreas como as grandes infraestruturas e redes de comunicação, o comércio, o turismo e a cultura, numa óptica de aproveitamento comum de fundos comunitários a partir de 2020.

No encontro, segundo a agenda da reunião, foram analisadas questões relacionadas com “Os poderes locais da Península Ibérica no contexto europeu”, “O futuro: papel dos poderes locais no próximo Quadro Comunitário de Apoio” e ainda a “Cooperação transfronteiriça territorial de âmbito local”, temas que permitiram a criação de grupos de trabalho que aprofundem e identifiquem problemas e soluções comuns aos municípios de Portugal e Espanha.

«Existem de um lado e do outro da fronteira assimetrias que têm de ser esbatidas, bem como potencialidades que podem ser exploradas», frisou Manuel Machado. Para o presidente da ANMP, «o aprofundamento das relações» cria um caminho conjunto que poderá revelar «um futuro auspicioso».

Abel Caballero, a quem coube efectuar uma síntese de um «encontro histórico e inédito», sublinhou que estes acordos conjuntos possibilitam «ganhar força» para obter «apoios da Europa para projectos de crescimento económico», nomeadamente, explicou o presidente da FEMP, «para as redes de alta velocidade ou para as grandes infraestruturas». No fundo, avançou o também presidente da Câmara de Vigo, as relações transfronteiriças «acabam com a própria fronteira».

Abel Caballero defendeu ainda que os municípios devem «gerir mais verbas comunitárias», uma vez que é visível que a «eficiência da administração portuguesa e espanhola supera todas as outras» administrações públicas.

Ao avançar com esta experiência, Manuel Machado e Abel Caballero consideram ser possível «alargar, progressivamente, esta cooperação aos países do mar Mediterrâneo, como França, Itália e Grécia». Estiveram presentes neste encontro, além dos presidentes da ANMP e da FEMP, alguns membros do Conselho Directivo da ANMP e uma delegação da FEMP constituída por presidentes de Províncias e Municípios, membros da Junta de Governo da Federação, Alcaides, o vice-presidente do Conselho de Municípios e Regiões da Europa e o vice-presidente europeu de Cidades e Governos Locais Unidos.

Ricardo Busano – Diário de Coimbra

  etiquetas ,