FERIADO MUNICIPAL - As prioridades de intervenção num período de “finanças sãs”



O presidente da Câmara Municipal de Penacova, Humberto Oliveira, anunciou ontem as quatro áreas de prioridade de intervenção para os próximos anos. No discurso do Dia do Município, o autarca referiu “a valorização permanente do património cultural e natural; a reabilitação urbana das vilas de Lorvão, Penacova e São Pedro de Alva; o fecho da rede de equipamentos escolares com a construção do Centro Escolar de Figueira de Lorvão; e continuar o esforço de criação de um ambiente favorável à instalação de empresas e negócios”.

Parte destas áreas já têm projeto aprovado ou financiamento assegurado. Humberto Oliveira apontou como exemplo os projetos previstos na 1.ª fase do Plano de Regeneração Urbana de Penacova, a implementação do Centro Interpretativo do Mosteiro de Lorvão, a implementação, em conjunto com a Comunidade Intermunicipal, das Grandes Rotas do Alva, Mondego, Bussaco, Espiritualidade e Serras de Coimbra. “Trabalho não faltará, com certeza”, afirmou.

Para que tal seja possível, é fundamental ao município uma boa saúde financeira. E a “boa notícia” foi dada pelo secretário de Estado das Autarquias Locais. Carlos Miguel afirmou que, neste momento, o município de Penacova tem um passivo de 2,1 milhões de euros, o que representa “apenas 15 por cento da sua capacidade de endividamento”. “Tem saúde financeira e, ao mesmo tempo, tem-se preocupado em reduzir o passivo”, disse o governante.

Sobre a descentralização, o secretário de Estado disse que o objetivo é “dar mais meios” aos municípios, para que estes possam “agir mais rapidamente” junto das populações.

Pedro Coimbra, presidente da Assembleia Municipal de Penacova, e José Carlos Alexandrino, vice-presidente da Comunidade Intermunicipal, marcaram presença na cerimónia que assinalou o Dia do Município.

D. Teresa “motiva” geminação com Cistierna

Cistierna, município da província de León e no sopé dos picos da Europa, passou a estar geminada com Penacova. O acordo foi ontem celebrado e, de acordo com Humberto Oliveira, significa o reforço da abertura de Penacova ao exterior. Durante esta semana, o município irá acolher meia centena de jovens, os quais irão participar “num vasto programa que lhes permitirá ficarem a conhecer melhor a história de Lorvão, Penacova e Coimbra”.

A anteceder esta parceria, o autarca recordou o trabalho de preparação com visitas mútuas e que já envolveram elementos das bandas filarmónicas dos dois municípios. “Não é o epílogo de nada, mas sim o início de tudo”, afirmou Humberto Oliveira.

O “alcaide” de Cistierna, Nicamor San Velez, realçou a importância deste acordo de geminação, o qual permitirá reforçar o vínculo das relações “ao nível económico e social”. O autarca lembrou que, para além das relações de amizade que unem “já” os dois povos, há ainda a relação “espiritual”. É que D. Teresa “vossa e nossa Rainha, fundadora do Mosteiro de Lorvão, merece com certeza esse novo esforço”, afirmou, na sessão, o presidente da câmara de Penacova.

Cinco funcionários alvo de homenagem

Maria Isilda Lourenço Pires Duarte, Maria de Lurdes Soares Martins, Alda Celeste Frias Morgado Santos, Paula Alexandra Almeida Dias e António Conceição Simões. Os cinco funcionários celebraram 25 anos ao serviço do município, tendo a autarquia decidido ontem homenageá-los nesta cerimónia.

O “exemplo” António José de Almeida

A deposição de uma coroa de flores no busto de António José de Almeida marcou o Dia do Município. Sobre a habitação em Vale da Vinha, o presidente garantiu questão a ser feitos todos os esforços para conseguir o projeto e o financiamento que permita reabilitar o imóvel como espaço de promoção turística.

António Alves – Diário As Beiras

  etiquetas , , , ,