REGIÃO CENTRO - Projeto “Noite Saudável” já tem a adesão de 21 municípios Penacova Actual PENACOVA ACTUAL - Jornal de Penacova

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÃO CENTRO - Projeto “Noite Saudável” já tem a adesão de 21 municípios



Mobilizar a comunidade juvenil para a adoção de comportamentos mais saudáveis nos estabelecimentos de diversão noturna é um dos objetivos do projeto “Noite Saudável das Cidades do Centro de Portugal” que ontem foi apresentado na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC).

A iniciativa conjunta do Instituto Europeu para o Estudo dos Fatores de Risco (IREFREA Portugal), CCDRC e Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) é financiado pela União Europeia, através do programa operacional Centro 2020 e envolve 21 municípios e outras entidades da região.

Para Ana Abrunhosa, presidente da CCDRC, “a componente de cidadania e de formação, prevenção e capacitação dos nossos jovens” foi fundamental para o acolhimento do projeto por esta entidade. Em declarações aos jornalistas, a responsável reconheceu que, ao aceitar esta parceria, a CCDRC está “a inovar, pois para além dos resultados queremos, principalmente, envolver a comunidade”. “É um projeto de rede com a comunidade escolar, o setor da saúde, a área da segurança, as famílias e os jovens”, disse Ana Abrunhosa, esperando contar em breve com representantes das empresas de diversão noturna.
Um dos responsáveis é João Redondo. O coordenador do projeto e do Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicogénico do Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria do CHUC referiu que o projeto irá ser agora apresentado às 21 autarquias da região que já aderiram — e que foram denominadas de “clusters” do projeto — de forma a “avaliar necessidades, saber o que já foi feito nesta matéria”. “O projeto assenta na capacitação de profissionais e criação de redes, na sua essência”, frisou o psiquiatra. Estas redes, como explicou, “são o garante da sustentabilidade do projeto”. De tal forma que, de acordo com Ana Abrunhosa, “estão reunidas as condições para termos um projeto de referência nacional”.

Avaliadores e consultores

Noite Saudável” irá ser implementado no terreno pelo Instituto Europeu para o Estudo dos Fatores de Risco em Crianças e Adolescentes (IREFREA). O presidente Fernando Mendes esteve presente na sessão, tendo afirmado que estão reunidas as condições para a obtenção de resultados positivos nos próximos três anos.

Para ajudar as diversas entidades que assumiram o desenvolvimento deste projeto, foi criado um grupo de avaliadores constituído por Irma Brito, João Pedro Pimentel e Madalena Alarcão e um grupo de consultores nacionais (António Reis Marques, Constantino Sacklarides, Elza Pais e Paula Santana) e internacionais (Amador calafat, Marco Bellis e Paolo Stocco). Ao mesmo tempo, será criado um Conselho de Jovens e um Observatório e realizado um Fórum para debater esta questão.

O encerramento da sessão contou com a presença da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade. Rosa Monteiro mostrou a sua preocupação com a violência contra as jovens nas festas académicas, ao mesmo tempo que apelou ao envolvimento das associações de estudantes na prevenção destes comportamentos. “Não podemos aceitar esta banalização da violência contra as raparigas”, um pouco em todo o país, especialmente nas “Queimas das Fitas” e outras festas de estudantes do ensino superior, disse a governante.

Na sua opinião, importa “perceber como estas situações devem ser evitadas”, o que a levou a promover, na passada semana, uma reunião com dirigentes das associações académicas de Portugal. No entanto, o que se pretendia que fosse “uma reflexão conjunta” sobre estes problemas, os responsáveis verificaram que “há uma grande normalização e tolerância do assédio” contras as estudantes e demais raparigas que participam “nestas noites académicas”.

Os índices da sinistralidade rodoviária entre jovens, sobretudo do sexo masculino, frequentemente associada às vivências da noite, incluindo com consumo de álcool e drogas, foram outra das preocupações assumidas pela secretária de Estado. E deixou um desafio: “é preciso passar à ação de forma urgente e articulada”.

António Alves – Diário As Beiras



Sem comentários:

Enviar um comentário


Leia as regras:

1 - Os comentários ofensivos não serão publicados.
2 - Os comentários apenas refletem a opinião dos seus autores.