MAU TEMPO - EDP Distribuição declara Estado de Emergência para o distrito de Coimbra Penacova Actual PENACOVA ACTUAL - Jornal de Penacova

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAU TEMPO - EDP Distribuição declara Estado de Emergência para o distrito de Coimbra



A EDP Distribuição declarou este domingo o Estado de Emergência para o distrito de Coimbra, o mais grave previsto no seu plano de atuação, e admite recorrer a meios internacionais para reparar os danos causados pela tempestade tropical Leslie.

Em comunicado, a empresa diz que, “face aos danos da rede elétrica causados pela passagem do furacão Leslie, os quais foram confirmados durante o dia de hoje pela avaliação técnica da EDP Distribuição, declara, para o distrito de Coimbra, o Estado de Emergência, o mais grave previsto no seu plano operacional de atuação em crise, desde as 20h00 deste domingo”.

Esta declaração de Estado de Emergência “resulta de acontecimentos com grandes repercussões e concretiza-se na mobilização, com âmbito nacional, de todos os meios humanos, materiais e equipamentos disponíveis na empresa, seus prestadores de serviço e fornecedores”, adianta a EDP Distribuição.

Poderá também ser ponderado, em caso de necessidade, o eventual recurso a meios internacionais”, concluiu a elétrica.

Anteriormente, a EDP Distribuição já tinha avançado que os danos provocados pela passagem da tempestade tropical eram “muito significativos” na rede de distribuição de energia.

Com a circulação de viaturas possível no dia de hoje, bem como o sobrevoo de helicóptero, foi possível confirmar danos muito significativos provocados pelo furacão Leslie na rede de distribuição de energia”, refere a empresa em comunicado, num balanço à situação às 19:00.

Atualmente, “estão sem energia elétrica cerca de 100 mil habitações”, o mesmo número que tinha sido avançado pela EDP Distribuição durante a tarde.

Destacou que há zonas “muito preocupantes no distrito de Coimbra, em particular as localidades abastecidas pelas subestações de Louriçal e Soure, onde várias linhas de alta e média tensão (AT/MT) permanecem inoperacionais, com postes danificados”.

Perante a dimensão dos estragos, “não é ainda possível estimar a data para a conclusão dos trabalhos”, tinha avançado no balanço anterior.

No entanto, “a reparação de linhas, bem como o reforço de meios auxiliares como sejam geradores de emergência (50 instalados neste momento) tem permitido uma progressiva redução de situações de avaria”.

A EDP Distribuição mantém um contingente de mais de 500 operacionais no terreno, tendo mobilizado, desde cedo, equipas noutros locais do país”, continuou.

A EDP Distribuição “está, como sempre, fortemente empenhada e a desenvolver todos os esforços para a normalização do serviço de fornecimento de energia tão rapidamente quanto possível”, referiu, salientando que “mantém a colaboração com todas as entidades envolvidas nestes processos, nomeadamente Proteção Civil e autarquias”.

No balanço ao início da tarde o presidente do Conselho de Administração da EDP Distribuição, João Torres, disse que “mais de 100 mil consumidores” permaneciam sem energia, “depois de terem chegado aos 300 mil.”

A passagem do Leslie por Portugal, no sábado e domingo, provocou um morto, 28 feridos ligeiros e 61 desalojados.

A Proteção Civil mobilizou 8.217 operacionais, que tiverem de responder a 2.495 ocorrências, sobretudo queda de árvores e de estruturas e deslizamento de terras.

O distrito mais afetado pelo Leslie foi o de Coimbra, onde a tempestade, com um “percurso muito errático”, se fez sentir com maior intensidade, segundo o comandante nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil.




Sem comentários:

Enviar um comentário


Leia as regras:

1 - Os comentários ofensivos não serão publicados.
2 - Os comentários apenas refletem a opinião dos seus autores.