LORVÃO - Destino do Mosteiro poderá estar resolvido até final da legislatura Penacova Actual PENACOVA ACTUAL - Jornal de Penacova

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

LORVÃO - Destino do Mosteiro poderá estar resolvido até final da legislatura



O programa Revive "tem até ao final desta legislatura" para lançar 33 projectos de valorização de edifícios de elevado valor patrimonial e cultural, realçou o ministro da Economia, Siza Vieira, no Parlamento.

O ministro Adjunto e da Economia disse esta sexta-feira, 9 de Novembro, que "até ao final deste ano" vão ser lançados mais seis concursos do programa Revive, que visa a valorização de edifícios com elevado valor patrimonial e cultural.

Pedro Siza Vieira falava na comissão conjunta de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa e de Economia, Inovação e Obras Públicas, no âmbito da apreciação, na especialidade, do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

O programa Revive, recordou o governante, "tem até ao final desta legislatura" para lançar 33 projectos de valorização de edifícios de elevado valor patrimonial e cultural.

"Já se lançaram nove concursos para o Revive, até ao final deste ano serão lançados mais seis concursos para edifícios tão emblemáticos" como o Convento de São Francisco, em Portalegre, o Quartel do Carmo, na Horta, o Paço Real, em Caxias, o Convento da Graça, em Lisboa, o Convento dos Mosteiros de Arouca e do Lorvão ou o Convento do Carmo, em Moura, disse Pedro Siza Vieira.

"Além do mais, o Governo lançará também um programa Revive Natureza que procurará valorizar o turismo de natureza através da valorização de equipamentos situados na nossa paisagem rural", acrescentou o governante, que sublinhou que é preciso "reconhecer que o processo de desenvolvimento e crescimento económico deve beneficiar todo o território".

O ministro defendeu a necessidade que "os desequilíbrios regionais sejam resolvidos", apontando que o Governo tem como prioridade a "coesão territorial".

O Mosteiro do Lorvão integrou a lista de imóveis do Estado a alienar, em dezembro de 2016, por fazer parte daqueles que, segundo a tutela, estão sem utilização e, por isso, têm sido condenados ao abandono.


Sem comentários:

Enviar um comentário


Leia as regras:

1 - Os comentários ofensivos não serão publicados.
2 - Os comentários apenas refletem a opinião dos seus autores.