JUSTIÇA - Ameaça de morte com machado começa a ser julgada em Coimbra Penacova Actual PENACOVA ACTUAL - Jornal de Penacova
PUB

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

JUSTIÇA - Ameaça de morte com machado começa a ser julgada em Coimbra



Um homem de 56 anos está acusado da prática de vários crimes em março de 2017 em Penacova. Segundo a acusação, a que o Jornal teve acesso, o arguido vai responder no final deste mês por um crime de homicídio qualificado, na forma tentada, quatro crimes de ameaça agravada, um crime de condução em estado de embriaguez e um crime de introdução em lugar vedado ao público.

A história tem origem em divergências com a irmã devido à posse de um terreno que o arguido entendia ser da sua propriedade. Nessa tarde de março, e a conduzir o seu veículo automóvel com uma taxa de álcool superior ao permitido por lei, dirigiu-se à casa da irmã. Neste local, estava também o cunhado, a sobrinha e o seu namorado. Ali chegado, proferiu diversas ameaças a todos os familiares, ao mesmo tempo que lhes exigiu que deixassem aberto o portão do terreno, para poder entrar e sair quando quisesse.

Atropelamento e ataque à machadada

Perante estas ameaças, a irmã, o cunhado e a sobrinha saíram do local, tendo-se mantido o namorado desta última. O arguido manteve o tom ameaçador, mas como não obteve qualquer tipo de resposta, decidiu abandonar momentaneamente o local.

Ao voltar, o tom de voz alterado levou a que a irmã e o cunhado também regressassem ao local. Nessa altura, o suspeito terá simulado que ia sair de novo do local, mas acabou por fazer inversão de marcha com a viatura e derrubar o portão do terreno, onde se encontrava o namorado da sobrinha.

O rapaz ainda tentou fugir para a zona da vedação do terreno, mas o veículo automóvel embateu-lhe na perna direita, tendo provocado duas fraturas. Após o atropelamento, o arguido pegou num machado, que tinha na bagageira do carro, mas o cunhado agarrou-lhe o braço, evitando desta forma males maiores. Chamada ao local, a GNR fez a detenção do arguido, mas não evitou que este ainda proferisse mais algumas ameaças verbais à vítima. O arguido encontra-se, neste momento, sujeito a termo de identidade e residência.

António Alves – Diário As Beiras

Sem comentários:

Enviar um comentário

Leia as regras:

1 - Os comentários ofensivos não serão publicados.
2 - Os comentários apenas refletem a opinião dos seus autores.