Últimas Notícias

TURISMO MILITAR - Região Centro junta-se a Castela e Leão para traçarem Rotas Napoleónicas Ibéricas




Com a ambição de aproveitar o património da época das Invasões Francesas, tornando-o “produto turístico de qualidade e sustentável, capaz de criar riqueza e emprego” nas regiões do Centro de Portugal e de Castela e Leão (Espanha), vai ser apresentado depois de amanhã, quarta-feira, 10 de julho, às 11H30, um projeto conjunto da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) e as congéneres espanholas.

A apresentação vai decorrer no Museu Militar do Bussaco, beneficiando de cofinanciamento do Fundo Europeu para o Desenvolvimento Regional (FEDER).

A organização adianta que o “projeto transfronteiriço NAPOCTEP, do Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal Interreg, tem uma duração de dois anos, implementado por um consórcio com oito entidades portuguesas e espanholas”, e que conta com um investimento total de 711 mil euros e um apoio FEDER que ascende a cerca de 533 mil euros.

Identificação dos locais por onde passaram os invasores

Pretende-se valorizar o património cultural da época napoleónica, através de rotas que estão numa área que abarca a Região Centro de Portugal e as províncias castelhano-leonesas de Espanha, gerando um produto turístico inovador, atrativo e gerador de atividade económica e emprego”, avança a CIM-RC, acrescentando que o projeto terá uma duração prevista de dois anos sob a sua liderança.

Investimento de mais de 700 mil euros e muitos parceiros

Ao longo do território, são vários os parceiros portugueses e espanhóis envolvidos: são os casos da Entidade Regional de Turismo do Centro, CIM-Beiras e Serra da Estrela e Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres Vedras) e espanhóis (Fundación Siglo para el Turismo y las Artes de Castilla y León, Fundación Santa María la Real del Patrimonio Histórico, Sociedad Mercantil Estatal para la Gestión de la Innovación y las Tecnologías Turísticas SEGITTUR e Fundación Finnova).

As futuras rotas napoleónicas vão situar-se numa área que inclui a região Centro de Portugal (Beiras e Serra da Estrela) e as províncias castelhano-leonesas do Oeste (Salamanca, Zamora, Valladolid, León e Ávila).

António Rosado – Diário As Beiras



Sem comentários


Leia as regras:

1 - Os comentários ofensivos não serão publicados.
2 - Os comentários apenas refletem a opinião dos seus autores.